Você tem a preocupação de saber de onde vem o alimento que vai para a sua mesa? Será que ele respeita todos os padrões de qualidade? Talvez isso passe despercebido algumas vezes por você, mas não para a Polícia Militar Ambiental de São Paulo.

Leia também: Polícia Militar Ambiental derruba mito da "vaca foi pro brejo" e resgata animal

undefined
Polícia Militar Ambiental - Palmitos
Polícia Militar Ambiental realizaram grande apreensão de palmito in natura na região de serra de Caraguatatuba

Na manhã desta terça-feira (18), a Polícia Militar Ambiental em conjunto com o policiamento rodoviário conseguiu realizar uma grande apreensão de palmito no trecho de serra da Rodovia dos Tamoios (SP-99) em Caraguatatuba. Foram 1.600 unidades in natura e 36 vidros de 3,2kg do produto prontos e embalados para venda que estavam sendo transportados sem autorização do órgão ambiental competente, revelou o Capitão Barra.

Leia também: Uma demonstração de honestidade em meio a um país emaranhado na corrupção

De acordo com o Capitão, os policiais faziam um monitoramento da quadrilha na região quando os três detidos foram vistos saindo da mata em duas Kombis. "Nós estávamos monitorando esse pessoal durante a madrugada, dia e noite. E essa manhã quando avistamos a saída da mata e acionamos o posto da Polícia Rodoviária Militar que fez a interceptação e logo em seguida uma viatura nossa também chegou no local que foi realizada a prisão", afirmou.

Os homens contaram histórias diferentes, mas os PMs acreditam que todo o produto seria levado para São Paulo onde é vendido sem nota fiscal em pequenos bares, restaurantes e pastelarias. Os policiais também alertaram para o perigo de consumir esse tipo de produto, já que o cozimento é feito de forma caseira e sem condição nenhuma de higiene, o que pode infectar o palmito causando algum tipo de mal para a saúde.

O Parque Estadual da Serra do Mar é uma das últimas reservas de palmito da região. "Praticamente só existe o produto dentro do parque que é uma área mais protegida, mas isso não impede a existência desse tipo de crime", finalizou o Capitão Barra.

Leia também: Polícia Militar Ambiental atua para afastar balões de aeroportos em São Paulo

Os três detidos foram conduzidos para o Distrito Policial de Caraguatatuba, mas vão responder em liberdade. Cada um recebeu uma multa de R$ 514.020,00, totalizando R$ 1.542.060,00. Todo o material apreendido foi levado para o aterro sanitário de Caraguatatuba, onde será destruído. 

A Polícia Militar Ambiental afirma que conta com a colaboração da população para combater esse tipo de crime. As denúncias podem ser feitas através do 190.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários