Tamanho do texto

Projeto prevê um empréstimo de R$ 3,5 bilhões da União; causas do fogo não foram identificadas pelos bombeiros, que trabalham no controle das chamas

Palácio Tiradentes, onde funciona a assembleia, foi totalmente evacuado e bombeiros estão analisando as causas do incêndio
Tomaz Silva/ABr
Palácio Tiradentes, onde funciona a assembleia, foi totalmente evacuado e bombeiros estão analisando as causas do incêndio

Um princípio de incêndio atingiu a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) na manhã desta segunda-feira (13). O fogo afetou a sala de imprensa e o plenário da Casa, que ficaram tomados de fumaça.

LEIA MAIS: Reunião entre mulheres de PMs e comando da corporação no Rio termina sem acordo

De acordo com a assessoria de imprensa da Alerj, o Palácio Tiradentes, onde funciona a assembleia, foi totalmente evacuado e bombeiros estão analisando as causas do incêndio . Ninguém ficou ferido.

Reunião do Cedae

Por causa do incidente, a reunião do Colégio de Líderes que discutiria a privatização da Cedae, a companhia estadual de abastecimento de água e tratamento de esgotos, marcada para esta segunda, às 14h, foi transferida para esta terça-feira (14), às 13h. Tal pauta será votada no mesmo dia.

Esse projeto prevê a viabilização de um empréstimo de R$ 3,5 bilhões da União, com prazo de 6 meses para o poder Executivo contratar instituições financeiras que avaliem a empresa e modelem a concessão. Essa proposta, segundo a Alerj, é a principal do Plano de Recuperação Fiscal do Estado.

LEIA MAIS: PM usa bombas de gás e balas de borracha contra manifestação em frente à Alerj

Embora a medida tenha recebido uma série de manifestações contrárias a ela, o presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), defende a aprovação.

"O Rio está numa situação limítrofe: ou ele encontra um caminho com ajuda do Governo Federal, que é esta proposta do plano de Recuperação Fiscal, e traz paz, volta a pagar os servidores em dia e restabelece o nível nos serviços, ou nós teremos uma gravíssima crise social", afirma.

Assembleia em fogo

Essa não é a primeira vez que o prédio da Alerj sofre com incêndios. Em dezembro de 2016, durante um protesto na assembleia, um príncipio de incêndio já tinha afetado o trabalho da Casa.

LEIA MAIS: Mulheres de policiais fazem protestos pelo segundo dia no Rio de Janeiro

O incêndio, na ocasião, começou em função dos rojões atirados contra a fachada do palácio Tiradentes, que passa por obras de revitalização. Os bombeiros da Alerj foram acionados e subiram nos andaimes para apagar as chamas.

* Com informações da Agência Brasil.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.