Tamanho do texto

CGE registra cinco pontos intransitáveis, quatro na zona norte e um na zona oeste; há potencial para rajadas de vento, raios e formação de alagamentos

Estado de atenção é decretado quando se considera que a chuva tem potencial para a formação de alagamentos
shutterstock
Estado de atenção é decretado quando se considera que a chuva tem potencial para a formação de alagamentos

A cidade de São Paulo está toda em estado de atenção no final na tarde desta segunda-feira (6), segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Este estado é decretado quando se considera que a chuva tem potencial para a formação de alagamentos (precipitação intermitente ou contínua e/ou moderada a forte).

Desmoronamento deixa ao menos 12 feridos em São Paulo após fortes chuvas

Áreas de instabilidade formadas pela alta disponibilidade de umidade e pelo forte calor atuam com intensidade nas zona oeste – nos bairros do Butantã, Pinheiros, Perdizes e Barra Funda.  Imagens do radar meteorológico mostram chuva com potencial para queda de granizo na zona norte, principalmente nos bairros de Cachoeirinha, Casa Verde, Mandaqui, Santana, Tucuruvi e Vila Medeiros.

Na zona leste, chove moderado nos bairros do Brás, Pari, Belém, Tatuapé, Penha e Cangaíba. Na zona sul, nos bairros de Santo Amaro, Campo Grande e Capela do Socorro chove moderado. Essas instabilidades com deslocamento lento têm potencial para rajadas de vento, raios e formação de alagamentos.

No Aeroporto do Campo de Marte, na zona norte, as rajadas de vento chegaram a 70,4 km/h, por volta das 17h45. De acordo com os meteorologistas do CGE, as próximas horas seguem chuvosas. 

Governo inaugura na zona leste o maior piscinão da capital paulista

Alagamentos

A CGE já registra cinco pontos intransitáveis na capital, quatro na zona norte e um na zona oeste, são eles:

- Os dois sentidos da Rua Horácio Vergueiro Rudge, a Avenida Ordem e Progresso e a Avenida Antônio Munhoz Bonilha, na Casa Verde; a Avenida Olavo Fontoura, em Santana e a Rua Joaquim Manuel de Macedo, na Lapa.

A CGE fez uma lista com possíveis medidas para "amenizar os efeitos dos alagamentos":

- Evite transitar em ruas alagadas;

- Se a chuva causou inundações, não se aventure a enfrentar correntezas. Fique em lugar seguro. Se precisar, peça ajuda;

- Mantenha-se longe da rede elétrica;

- Planeje suas viagens, para que haja menor possibilidade de enfrentar engarrafamentos causados por ruas bloqueadas;

- Em caso de dúvida sobre vias bloqueadas, ligue para a central de atendimento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) por meio do número 1188.

Previsão para a semana

Os volumes de chuva mais significativos nesta semana se concentram sobre os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Na Grande São Paulo e Capital, as pancadas serão isoladas e associadas ao calor e umidade.

Na terça-feira (7), o sol predomina entre poucas nuvens desde o amanhecer, com termômetros durante a madrugada em torno dos 21ºC. Ao longo do dia a máxima chega aos 30ºC, nas horas mais quentes, com as menores taxas de umidade acima dos 50%. As pancadas de chuva retornam no fim da tarde por conta da chegada da brisa marítima.

Em estado de observação, São Paulo tem queda de 97 árvores após forte chuva

A quarta-feira (8) será marcada por aumento de nebulosidade na faixa leste do estado e o retorno da chuva entre o fim da tarde e o início da noite. A maior quantidade de nuvens não deixa a temperatura subir muito. Mínima de 20ºC e máxima de 28ºC, enquanto as taxas de umidade do ar variam entre 55% e 95%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.