Tamanho do texto

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou que autorizou a chega dos agentes para controlar as facções que estão no presídio de Alacaçuz

Segundo o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, os primeiros homens da Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária chegam nesta quarta-feira (25) ao Rio Grande do Norte. Ao total, 100 agentes integram a equipe de força-tarefa, sendo que uma parte deles será direcionada imediatamente para o Rio Grande do Norte a pedido do Governador, Robson Faria.

LEIA MAIS: Em 8 anos, governo só investiu 22,8% do que arrecadou para o Fundo Penitenciário

Força-tarefa vai controlar os detentos da facção rival
Globonews/ Reprodução 17.01.2017
Força-tarefa vai controlar os detentos da facção rival


Esses agentes da força-tarefa vão ajudar a manter a ordem e a paz dentro da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, local que está em rebelião há cerca de 15 dias. Eles vão controlar os detentos para que o governo possa realizar as obras de revitalização do local, que ficou destruído nas últimas rebeliões ocorridas no local.

No início da manhã desta quarta-feira (25), a Secretaria Estadual de Segurança Pública e da Defesa Social afirmou que tropas especiais da Polícia Militar entraram na penitenciária de Alcaçuz para revistar as celas e dependências da unidade prisional para tentar encontrar armas, aparelhos celulares, drogas e fazer a recontagem dos detentos. Desta forma, os agentes garantem a segurança das equipes que estão erguendo um muro de contêineres para separar os presos de facções criminosas rivais, que estão em guerra há mais de 15 dias.

LEIA MAIS: Dividir e desprivatizar: juiz dos EUA analisa crise carcerária no Brasil

Briga de facções 

A Penitenciária de Alcaçuz vive uma guerra entre duas facções desde o dia 14 de janeiro, quando pelo menos 26 presos foram assassinados brutalmente e boa parte da unidade passou a ser controlada pelos detentos. Agora, o plano das autoridades de segurança pública é manter homens das três tropas especiais no interior do estabelecimento até a conclusão da instalação dos seis últimos contêineres, antes de iniciar a construção do muro definitivo, de concreto, que dividirá a área interna da penitenciária.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social, o muro definitivo deve ficar pronto em pouco mais de 15 dias. As placas pré-moldadas já foram encomendadas e, segundo o fabricante, devem ser entregues em cerca de 10 dias.

Força tarefa

A força-tarefa é o braço penitenciário da Força Nacional de Segurança e é composta por agentes penitenciários cedidos pelo governo federal e por governos estaduais para atuar em presídios onde ocorram rebeliões.

Antes da formação deste grupo, a Força Nacional não podia atuar em presídios, por ser composta basicamente por policiais militares. Os agentes penitenciários da força-tarefa são treinados e/ou têm experiência para atuarem nessas instituições e utilizarão equipamentos específicos. “Quem cuida de presos, quem sabe o protocolo em relação aos presos são os agentes penitenciários”, disse o ministro.

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS: Crise penitenciária: final de semana de fugas, rebelião e mortes pelo País