Tamanho do texto

As medidas preveem o aumento do policiamento em todas as zonas da capital amazonense, com reforço de 300 policiais

Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) está localizado em rodovia na saída de Manaus
Divulgação/Umanizzare
Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) está localizado em rodovia na saída de Manaus

O remanejamento dos policiais que atuam nos setores administrativos e o retorno de parte dos policiais cedidos para outros órgãos estão entre as ações definidas em reunião pelos Órgãos de Segurança Pública do Amazonas para reforçar a segurança em Manaus e nas unidades prisionais do estado.

+ Ministério Público diz já ter denunciado facções criminosas que atuam em Roraima

As medidas preveem o aumento do policiamento em todas as zonas de Manaus , capital amazonense , com reforço de aproximadamente 300 policiais. As mudanças foram anunciadas na sexta-feira (6), no período da noite. Outra medida, que também será imposta, é o reforço nos armamentos dos policiais que estão instalados nas muralhas dos presídios. Esses profissionais receberão pistolas e espingardas calibre 12.

O governo do Amazonas também pretende instalar uma base fixa no quilômetro 8 da BR-174, onde ficam a maior parte das unidades prisionais do estado. A base abrigará policiais de prontidão, que poderão ser acionados em caso de necessidade e emergência. Os policiais que forem convocados nas folgas receberão gratificação extra após o ocorrido.

+ Secretaria de Roraima descarta briga de facções como causa de massacre em prisão

A reunião que definiu essas ações, na noite de ontem, ocorreram na sede da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e contou com a participação de representantes da Corregedoria-Geral do estado, da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM), do Departamento de Polícia Técnico-Científica e do Corpo de Bombeiros.

A Secretária de Segurança Pública do Amazonas também criou uma central de denúncias, por meio do telefone 181, para agilizar as informações recebidas sobre os foragidos. Todas as informações recebidas serão repassadas ao grupo especial que atua nas buscas, formado pelas tropas especiais da Polícia Militar, pelas forças especiais da Polícia Civil e por policiais da Secretaria-Executiva-Adjunta de Operações Integradas da SSP-AM (Seaop). A central será coordenada pela Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai).

Relembre

Ao longo da primeira semana do ano, uma série de confrontos em penitenciárias da Região Norte resultou na morte de 87 presidiários. Em Manaus, no Amazonas, 56 detentos morreram numa rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, que começou na noite de domingo (1º) e se estendeu pela madrugada de segunda-feira (2).

+ Assassinato de 33 presos em Roraima é destaque na imprensa internacional