Ex-presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil (PHS) obteve 53,31% dos votos no segundo turno da eleição em BH
Divulgação
Ex-presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil (PHS) obteve 53,31% dos votos no segundo turno da eleição em BH

Cerca de 2,8 mil funcionários municipais que ocupavam cargos comissionados foram exonerados nesta segunda-feira (2), primeiro dia útil após a posse do novo prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS). A decisão foi divulgada no Diário Oficial do Município nesta segunda.

Alexandre Kalil assume em BH e pede "juízo" aos vereadores eleitos

Por enquanto, a prefeitura de Belo Horizonte não chegou a divulgar o impacto financeiro dos cortes. No entanto, já foi anunciado que a medida antecipa um projeto de lei de reforma administrativa, que será enviado à Câmara Municipal. 

De acordo com a prefeitura, parte desses funcionários exonerados serão recompostos com nomes da confiança da nova gestão.

Além das secretarias, diversos órgãos públicos municipais também foram afetados pelas exonerações. Entre eles estão a Fundação Municipal de Cultura, a Fundação de Parques Municipais, a Superintendência de Limpeza Urbana e a Superintendência de Desenvolvimento da Capital. Houve cortes na Guarda Municipal, na Procuradoria-Geral do Município, na Ouvidoria e na Coordenadoria de Juventude.

+ Alexandre Kalil é eleito prefeito de Belo Horizonte

Você viu?

No mês passado, quando anunciou seu secretariado, o atual prefeito de Belo Horizonte indicou que faria uma reforma estrutural da máquina pública municipal. O número de secretarias foi reduzido de 22 para 13.

Empresário tomou posse neste domingo

O empresário Alexandre Kalil assumiu a prefeitura de Belo Horizonte neste domingo (1º). Na cerimônia de posse, que foi realizada no Teatro Francisco Nunes, no Centro, o ex-presidente do Atlético Mineiro pregou austeridade nos gastos públicos e pediu “juízo” aos vereadores eleitos.

No discurso de posse, Kalil comentou sobre a situação financeira da capital mineira e pregou racionalidade na utilização das verbas públicas. “Todo o dinheiro dessa prefeitura não será canalizado para trocas de favores, para empregos desnecessários. Então, senhores vereadores, muito juízo neste momento. Todos nós precisamos de muito juízo neste momento”, disse o prefeito.

O novo chefe do Executivo municipal falou também em união com os demais agentes políticos da cidade. “Nós temos obrigação de governar junto com todos os companheiros, de olhar para esse povo que não foi olhado. Esse povo abandonado, esse povo sofrido, que deu nas urnas uma resposta contundente, elegendo um prefeito que nunca participou de uma eleição e reformando uma Câmara Municipal em 60%.”

+ Eleito em BH, Kalil se diz aberto ao diálogo, cita Alckmin e ignora Aécio

Por fim, o prefeito de Belo Horizonte prometeu que iria mesmo “reformular” a política do município. “Nós vamos reformular a política dessa cidade e vamos reformular com o que temos, com o compromisso que nos levou a esse cargo tão importante.” Ele garantiu ainda que irá governar “sem medo e, principalmente, respeitando a palavra e a lealdade”.

* Com informações da Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários