CPI ouve executiva de distribuidora suspeita no Ministério da Saúde
Senado Federal
CPI ouve executiva de distribuidora suspeita no Ministério da Saúde

CPI da Covid optou por realizar, na manhã desta terça-feira (31), a oitiva da diretora-executiva da VTCLog, Andréia Lima, após o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar o motoboy da empresa Ivanildo Gonçalves a não comparecer. O motoboy fazia saques milionários e entregas a pessoas ainda não identificadas. A VTCLog armazena e distribui medicamentos para o Ministério da Saúde e é alvo de uma série de investigações por suspeitas de irregularidades nos contratos firmados com a pasta. Assista ao vivo:

A decisão de ouvir a diretora da empresa foi tomada na noite da última segunda-feira (30), após reunião da mesa diretora - formada pelo presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), vice-presidente Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o relator Renan Calheiros (MDB-AL). 

A autorização de não-comparecimento do STF partiu do ministro Nunes Marques.

"Infelizmente, não vamos poder ouvir o motoboy que teria sacado R$ 5 milhões e entregado esse dinheiro diretamente na residência dos beneficiários. Esse depoimento, do ponto de vista da roubalheira, da corrupção, é muito importante, mas não vamos desistir dele", explicou Calheiros.

O relator disse a diretora da empresa entrou em contato com a CPI para se colocar à disposição a depor. 


Uma das irregularidades identificadas pela comissão parlamentar de inquérito é um contrato em que Roberto Ferreira Dias, ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, aceitou pagar à empresa um valor 18 vezes acima do recomendado pelos técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários