Trump e Biden
Reprodução: iG Minas Gerais
Trump e Biden

A eleição entre Donald Trump e Joe Biden , que definirá o novo presidente dos Estados Unidos, ocorre oficialmente somente no dia 3 de novembro, porém, mais de 90 milhões de pessoas já votaram antecipadamente, de acordo com dados da Universidade da Flórida. O grande número se deve também ao medo do coronavírus,  que o atual presidente alega ter vencido enquanto os casos aumentam.

Para se ter uma ideia, esse número já representa cerca de 65% do total de pessoas que compareceram às urnas nas últimas eleições presidenciais, em 2016. Assim, diante dos dados preliminares, a expectativa é que o total de votos ultrapasse a marca de 150 milhões pela primeira vez na história daquele país. Vale ressaltar que, diferente do Brasil, nos EUA, o voto não é obrigatório. 

Outro dado que chama a atenção é que em dois estados, Havaí e Texas, o número de votos antecipados já é maior que o total da última eleição. Enquanto isso, em dez outros, as cédulas enviadas com antecedência já somam mais de 80% do total de 2016. Para dar mais peso aos números, entre esses estados, estão Flórida, Carolina do Norte, Georgia, Arizona e Nevada, que são apontados como decisivos para o resultado.

Na última quarta-feira, entidades que estimulam a participação dos americanos no processo eleitoral pediram que as pessoas parassem de mandar seus votos por carta, já que os correios estão sobrecarregados. A situação é tão grave que é possível que nem tudo chegue a tempo para a contagem. Por conta disso, a Suprema Corte já decidiu que pelo menos na Pensilvânia e na Carolina do Norte serão aceitas cédulas por correio que cheguem dias depois da eleição -respectivamente, até dia 6 e 12 de novembro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários