Covid-19
Reprodução/Wikimedia Commons
Veja como o retorno às aulas presenciais pode ser mais seguro para crianças pequenas

As diretrizes para o retorno das aulas presenciais já foram anunciadas pelo Ministério da Educação, mas especialistas da área da saúde afirmam que a medida pode ser arriscada. Segundo a Dra. Patrícia Rezende, pediatra do grupo Prontobaby, ainda que as diretrizes respeitem isolamento social, uso de máscaras, afastamento de profissionais do grupo de risco, será difícil evitar contaminações pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Leia também:

A médica afirma que, em um primeiro momento, o número de alunos por sala  deve ser reduzido, e os alunos podem ser divididos em grupos que se alternem entre a atividade presencial e à distância

“A instituição deve oferecer locais para higienização das mãos, água, sabão, álcool em gel e higienizar frequentemente os recintos e superfícies”, afirma a pediatra. “Os ambientes devem ser arejados, com janelas abertas para evitar a disseminação do vírus”. 

Cuidados com as crianças

Segundo a Dra. Rezende, os pais devem lavar as roupas das crianças todos os dias, e pedir que tirem os tênis antes de entrar em casa. A prática deve ser seguida não apenas nessa ocasião, mas em todas as situações de exposição, como no retorno do supermercado ou da farmácia.

Os bebedouros devem ter uso restrito. A Dra.Rezende aconselha que cada criança leve sua própria garrafa de água. Aglomerações na entrada, na saída e nos intervalos devem ser evitadas pelos monitores.

Creches preocupam profissionais da saúde

Crianças mais velhas têm melhor entendimento e consciência sobre higiene, tópico que não foi totalmente desenvolvido no início da vida escolar, como creches. “A situação é mais complicada com as crianças pequenas. É difícil impedir que elas não troquem brinquedos, por exemplo. Até os dois anos de idade, bebê não deve usar máscara, mas poderá fazer uso do escudo facial”, diz a pediatra.

A Dra.Rezende alerta para a dificuldade de manter o distanciamento de crianças de até dois anos. Segundo a especialista, copos e brinquedos não devem ser divididos. “Se puderem, mães com crianças em creches ainda devem deixar seus filhos em casa. É muito mais difícil evitar esse contato”, alerta.

    Veja Também

      Mostrar mais