mulher arrastada pela p
reprodução / Twitter
Caso aconteceu em Niterói, Região Metropolitana do Rio.

Uma comerciante foi imobilizada com uma gravata por policiais militares e arrastada para uma patrulha , nesta quinta-feira, após tentar defender um homem que havia sido baleado durante uma operação da Polícia Militar , no Morro do Preventório, no Bairro de Charitas, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. A ação foi filmada por uma testemunha e as imagens foram compartilhas nas redes socais.

Leia mais: Carro clonado de assaltantes pega fogo após assalto e grupo é detido no Rio

Segundo um morador, um homem foi ferido no rosto por uma bala perdida, após uma troca de tiros entre traficantes e policiais. A PM nega que tenha reagido a tiros e alega que a mulher foi detida porque ajudou na fuga de dois bandidos.

O caso ocorreu por volta das 13h, no Bairro de Charitas. Segundo um morador, que pediu para não ser identificado, a mulher tentou ajudar um rapaz que foi ferido em meio a um tiroteio. Ao ser abordado pela mulher, um PM teria xingado a comerciante, que reagiu com palavrões. Ela então foi imobilizada pelos policiais.

"Os PMs foram recebidos a tiros na comunidade e houve tiroteio. Um rapaz que passava pela linha de tiro foi baleado. É um garoto que não tinha nada a ver com o problema que estava acontecendo. Ela disse que o menino não era bandido e pediu para que ele fosse socorrido. Nisso, o PM a xingou e ela também falou palavrões para ele. Bastou isso para o caldo entornar e a confusão acontecer", disse o morador.

O ferido foi socorrido por uma ambulância do Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital estadual Alberto Torres. Ele não teve a identidade revelada pela polícia. As investigações do caso serão feitas pela 79ªDP (Jurujuba). Procurada, a Polícia Militar informou que policiais do 12ºBPM realizavam uma ação para reprimir o crime organizado na comunidade do Preventório, quando foram recebidos a tiros.

Segundo a PM, os militares se abrigaram e não revidaram justamente para não colocar em risco a vida de inocentes. A nota diz que, após os disparos , os criminosos abrigaram-se num estabelecimento comercial, e que na perseguição, os militares teriam sido impedidos pela comerciante de entrarem no local.

E que isso teria permitido a fuga dos bandidos. Em sua versão, a PM alega ainda que a mulher, com o apoio de um funcionário, desacatou os PMs. Os dois foram levados para 79ªDP.

Durante a operação foram apreendidos, segundo a PM, uma carga de drogas e um rádio de comunicação. Abaixo, a íntegra da nota.

A Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado de Polícia Militar esclarece que, na tarde desta quinta-feira (27/2), policiais do 12º BPM (Niterói) realizaram uma ação para reprimir o crime organizado na comunidade do Preventório, em Charitas.

No início da incursão à comunidade, criminosos atiraram contra os policiais que se abrigaram e não revidaram, justamente para não colocar em risco a vida de inocentes.

Após os disparos, os criminosos fugiram, abrigando-se num estabelecimento comercial próximo. Na perseguição, os policiais foram impedidos pela proprietária do estabelecimento de entrar no local, permitindo a fuga dos criminosos.

Leia também: Rapaz diz ser viajante do tempo do ano 2050 e revela: "Vivemos em uma simulação"

Além de cometer crime de obstruir uma ação policial em situação de flagrante delito, a comerciante, com apoio de um funcionário, desacatou os policiais militares. Os dois foram conduzidos para a 79ª DP (Charitas). Uma carga de entorpecentes, a ser contabilizada, e um rádio comunicador foram apreendidos.

    Veja Também

      Mostrar mais