Tamanho do texto

Coronel Tadeu (PSL-SP) arrancou e pisoteou um cartaz exposto que integrava uma exposição contra racismo na Câmara dos Deputados

cartaz exposto arrow-options
Reprodução Twitter/@taliriapetrone
O quadro antes do episódio

O PT apresentou, no fim da manhã desta quarta-feira, uma representação por quebra de decoro parlamentar contra o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP). Ontem, o deputado quebrou um quadro da exposição temática do dia da Consciência Negra , comemorado hoje. O quadro arrancado e quebrado pelo deputado ilustrava um homem negro, algemado, assassinado por um policial com uma arma na mão.

Leia mais: Apesar da inclusão, população preta e parda não se vê representada 

Na representação entregue ao Conselho de Ética da Câmara e também encaminhado ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o partido diz que "os parlamentares foram surpreendidos com atos de extrema violência praticados pelo representado" e anexou as imagens do quadro do cartunista Latuff quebrado no chão.

"Trata-se de um crime repugnante e que atinge não apenas a população negra, mas toda a sociedade brasileira", completa o documento assinado pela deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR). Caberá ao colegiado decidir se o deputado será ou não punido pelo ato.

Parlamentares do PT, PSB, PSB e do PSOL registraram, ainda na noite de ontem, um registro de ocorrência na Polícia Legislativa e uma representação na Procuradoria Geral da República contra Tadeu e Daniel Silveira (PSL/RJ) por crime de racismo. Daniel Silveira também é citado na representação no Conselho de Ética, por ter apoiado o ato do correligionário.