Tamanho do texto

Segundo o ministro, a decisão é necessária para garantir o respeito à dignidade humana e impedir casos de tratamento cruel e tortura

Agência Brasil

Luis Roberto Barroso
Nelson Jr./SCO/STF - 1.8.17
Decisão de Barroso será submetida ao plenário do Supremo

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso decidiu nesta quarta-feira (26) que transexuais presas devem ser transferidas para presídios femininos. A decisão liminar do ministro foi tomada em uma ação protocolada na Corte pela Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).

Leia também: Projeto que dificulta aborto é criticado e Fernando Holiday já admite mudanças

Segundo o ministro, a decisão sobre as presas transexuais é necessária para cumprir os princípios constitucionais da dignidade humana e a vedação ao tratamento cruel e à tortura.

"Trata-se da única medida apta a possibilitar que recebam tratamento social compatível com a sua identidade de gênero . Trata-se, ademais, de providência necessária a assegurar a sua integridade física e psíquica, diante do histórico de abusos perpetrados contra essas pessoas em situação de encarceramento", disse Barroso .

Leia também: CNJ estabelece regras que podem reduzir encarceramento no país

A liminar do ministro está em vigor, mas deverá ser referendada pelo plenário do STF. A data do julgamento sobre a custódia de presas transexuais ainda não foi definida.