Tamanho do texto

Presidente do sindicato cita que Governo deveria dar prioridade à cobrança

Presidente do Sindilegis questiona falta de cobrança aos grandes devedores da Previdência
Divulgação
Presidente do Sindilegis questiona falta de cobrança aos grandes devedores da Previdência

Petrus Elesbão, presidente do Sindilegis – Sindicato dos Servidores Federais do Poder Legislativo e do TCU, solta o verbo contra a reforma da Previdência com um argumento interessante: por que a União não cobra grandes devedores, para sanar o rombo, em vez de sacrificar o trabalhador?

“Só à Previdência já devem mais de R$ 400 bilhões, quase três vezes o valor do suposto déficit do setor”, diz.

 “Um Governo, antes de propor reforma, deve sanear as contas públicas e isso passa pela cobrança dos devedores. Não há que se falar em cortes de direitos trabalhistas e previdenciários, sem que antes o Governo corte na própria carne”, complementa Petrus.

Em tempo, o então presidente Lula da Silva (PT), quando fez a sua reforma da Previdência em 2004, também não cobrou os grandes devedores. Virou uma bola de neve.

Rombo

Veja o tamanho da bolada que o Tesouro poderia ter caso o Governo federal não concedesse tantas isenções fiscais a vários setores, segundo dados de Elesbão, em “prol da economia”: Só em 2015 a renúncia fez a União deixar de arrecadar R$ 60 bilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.