Líbios saem às ruas para celebrar morte de Kadafi

População comemora em Sirte e em Trípoli, enquanto refugiados se reúnem em frente a embaixadas em outros países

iG São Paulo |

Líbios celebraram nesta quinta-feira o anúncio da morte do líder deposto Muamar Kadafi , confirmado pelo primeiro-ministro do Conselho Nacional de Transição (CNT), Mahmoud Jibril. Também nesta quinta-feira, o governo interino anunciou ter tomado o controle de Sirte , cidade onde Kadafi foi encontrado, último bastião de resistência desde a queda do regime, há dois meses.

Em Sirte, na capital, Trípoli, e em outras cidades, líbios comemoraram com buzinas e tiros para o alto. Celebrações também foram registradas em frente a embaixadas da Líbia na Tunísia e em Malta, onde manifestações reuniram refugiados líbios.

Kadafi, que se agarrou ao poder por 42 anos até que fosse deposto por sua própria população em um levante que se tornou uma sangrenta guerra civil, foi morto por forças revolucionárias durante a queda de Sirte, sua cidade natal. "Esperávamos por esse momento há muito tempo. Muamar Kadafi foi morto", disse Jibril durante uma coletiva na capital.

Kadafi é o primeiro líder morto na Primavera Árabe , onda de movimentos populares que ocorrem no Oriente Médio e no norte da África desde dezembro para exigir o fim de governos autocráticos e mais democracia. Kadafi foi um dos líder mais longevos do mundo, dominando o país por meio de um regime comandado por seus caprichos e atraindo condenação internacional e isolamento durante anos.

Segundo primeiro-ministro líbio, Kadafi foi morto após ter sido atingido na cabeça durante o fogo cruzado entre seus partidários e combatentes do governo interino após de ter sido capturado ao ser retirado de um duto de esgoto.

"Kadafi foi retirado do duto sem resistir. Quando o levávamos, foi atingido por um disparo no braço direito e então colocado em uma picape", disse Jibril ao ler um relatório forense. "Quando o carro se movia, foi pego no fogo cruzado e atingido por uma bala na cabeça. O médico forense não pôde dizer se a bala era dos revolucionários ou das forças de Kadafi."

Também de acordo com premiê, Kadafi morreu poucos minutos antes de chegar ao hospital e será enterrado na sexta-feira na cidade de Misrata. O presidente do CNT, Mustafa Abdel Jalil, declarará a libertação da Líbia no sábado.

Além de Kadafi, o ministro interino de Informação da Líbia, Mahmoud Shammam, disse que Mutassim - filho e um dos conselheiros de segurança nacional de Kadafi - foi ferido quando se escondia com o pai. Um repórter da Reuters confirmou que viu o corpo, que teria sido colocado sobre cobertores no chão de uma casa em Misrata, coberto da cintura para baixo com uma capa de plástico azul. O corpo apresenta ferimentos no peito e pescoço.

Há relatos conflitantes sobre o paradeiro de Saif al-Islam, sempre apontado como sucessor de Kadafi. À rede de TV árabe Al-Jazeera, uma autoridade do governo interino afirmou que ele ainda estaria foragido no deserto da Líbia. Posteriormente, surgiram informações de que ele, que teria tentado fugir de Sirte em um comboio, estava cercado e sob ataque. Já a rede Al-Arabyia afirmou que ele foi morto. Mais tarde, a TV pró-Kadafi Al-Ra, que fica na Síria, disse que "não havia nenhuma verdade" nas informações sobre a morte ou captura de Saif al-Islam.

Com Reuters e AP

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabesirteotanmorte de kadafi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG