Brasil diz esperar fim da violência após captura ou morte de Kadafi

Segundo Patriota, governo brasileiro espera que povo líbio 'siga nas suas aspirações e anseios' e no 'espírito de diálogo'

BBC Brasil |

selo

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse nesta quinta-feira que o Brasil espera que a violência na Líbia acabe, ao comentar a notícia de que o líder deposto do país, Muamar Kadafi , teria sido capturado ou morto .

"O Brasil espera que a violência na Líbia cesse, que as operações militares se encerrem e que o povo líbio siga nas suas aspirações e anseios, no espírito de diálogo e de reconstrução", afirmou.

O ministro, que está em Angola, tomou conhecimento de notícias não confirmadas sobre a captura de Kadafi às 13:37 horário local (10:37 no horário de Brasília), no momento em que a presidenta Dilma Rousseff estava reunida com o presidente do país, José Eduardo dos Santos.

Patriota interrompeu a reunião para dar a notícia aos chefes de Estado que, após informados, decidiram seguir com o encontro. No início da semana, durante o Fórum do Ibas (Índia, Brasil e África do Sul), em Pretória, a presidente Dilma se manifestou contra a ação armada da comunidade internacional na Líbia.

Este ano, forças francesas e britânicas bombardearam posições do antigo regime de Kadafi, segundo os países, obedecendo a uma resolução da ONU. O bombardeio foi crucial para derrubar o líder.

"Na Líbia, atuamos orientados pela certeza de que intervenções armadas e especialmente as realizadas à margem do direito internacional não trazem a paz, nem protegem os direitos humanos", disse a presidente.

    Leia tudo sobre: líbiakadafimundo árabebrasilpatriota

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG