PT diz ter acordo engatilhado com PSB para disputa em SP

Segundo presidente do partido, Rui Falcão, 'compromisso' entre Lula e Eduardo Campos renderá apoio a Fernando Haddad

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou na tarde desta segunda-feira que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, tem um acordo engatilhado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , para que seu partido apoie a candidatura de Fernando Haddad (PT) para a Prefeitura de São Paulo.

“Acho que vamos ter tanto o PR como o PSB na nossa coligação", disse Rui Falcão, alegando que a avaliação toma por base um "compromisso entre o governador Eduardo Campos e o presidente Lula”.

Confirmação: Serra anuncia plano de concorrer em SP e negocia prévias
Negociações:
Data de realização das prévias em São Paulo é irrelevante, diz Alckmin

AE
De acordo com Rui Falcão, tanto PR como PSB devem aderir à campanha de Haddad
Desde que o ex-governador José Serra (PSDB) manifestou disposição de disputar a prefeitura , levando consigo o PSD do prefeito Gilberto Kassab, o PSB tornou-se alvo prioritário do PT na capital paulista. Nacionalmente, o partido de Eduardo Campos pertence à base aliada de Dilma. Para as eleições deste ano, no entanto, o partido tem procurado se alinhar ao PSD de Kassab, que já selou o apoio à pré-candidatura de Serra na cidade.

Segundo fontes petistas, o acordo entre Lula e Campos foi firmado no dia 23 de janeiro, quando o governador de Pernambuco fez uma visita ao ex-presidente na sede do Instituto Lula, no bairro do Ipiranga, na capital paulista. Durante o encontro, Campos teria informado Lula sobre a estratégia nacional do PSB de priorizar o PSD. Lula teria argumentado que seria importante o partido do governador pernambucano evitar o distanciamento excessivo com o PT de São Paulo. Ambos teriam combinado, então, que a eleição na capital paulista seria tratada "à parte" do restante do País.

A direção municipal do PT vem negociando diretamente com a direção municipal do PSB. O diálogo, no entanto, esbarra no presidente estadual do PSB, Márcio França, secretário de Turismo do governo de Geraldo Alckmin (PSDB). Dentro do círculo próximo a Alckmin, tucanos difundem a versão de que Eduardo Campos também já teria selado um acordo para apoiar Serra na disputa.

Leia também: PT diz que entrada de Serra na disputa favorece Haddad

Questionado sobre a entrada de Serra na disputa em São Paulo, Falcão disse não estar surpreso, pois a candidatura do ex-governador já era prevista pela direção petista. Segundo ele, os principais problemas do PT hoje se concentram em três capitais: Belo Horizonte, Fortaleza e Recife. Nessas cidades, ainda existe disputa entre pré-candidatos ou diferenças entre alas do partido que defendem candidatura própria ou apoio a nomes de outras siglas.

Hoje, a comissão criada pelo PT para acompanhar o processo eleitoral se reuniu na sede do partido em São Paulo para avaliar o quadro nas 118 cidades com mais de 150 mil eleitores. Segundo Rui Falcão, a previsão é de crescimento no número de prefeituras petistas.

    Leia tudo sobre: Rui FalcãoPSDBPTJosé SerraFernando Haddad

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG