Michel Temer decide manter interino no Ministério do Trabalho até o fim de março

Helton Yomura continuará no cargo enquanto o PTB não definir a nova indicação; partido desistiu na terça-feira (20) do nome de Cristiane Brasil
Foto: João Ricardo/PTB - 29.11.17
Presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson desistiu de indicar a filha, Cristiane Brasil, para Ministério do Trabalho

O ministro interino do Ministério do Trabalho, Helton Yomura, ficará no cargo até março. A decisão foi tomada durante a reunião do presidente Michel Temer com líderes do PTB , nesta quarta-feira (21). A informação é do líder do partido na Câmara dos Deputados, Jovair Arantes (GO).

De acordo com Jovair, as discussões sobre um nome do PTB para ocupar definitivamente a o Ministério do Trabalho serão feitas mais perto da mudança. “Vamos deixar para discutir isso quando estiver mais próximo”, disse o líder. Ministros do governo que pretendem se candidatar nas eleições de outubro precisam deixar o cargo até abril, em cumprimento à legislação eleitoral. Por isso, a nomeação definitiva do ministro do Trabalho ficaria para esse período de mudanças nos comandos dos ministérios.

Além de Jovair Arantes, também participaram da reunião com Temer, no Palácio do Planalto, o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e a deputada federal Cristiane Brasil (RJ).

Em janeiro deste ano, Cristiane foi indicada pelo PTB para assumir o cargo de ministra do Trabalho, mas foi impedida de tomar posse no cargo por decisões da Justiça. Segundo o líder Jovair Arantes, durante a reunião, Cristiane Brasil agradeceu ao presidente Temer pela nomeação.

Leia também: Maia diz que apresentação da nova pauta econômica é "desrespeito" ao Parlamento

Helton Yomura, que está no comando da pasta, foi superintendente regional ministério no Rio de Janeiro e, em outubro de 2017, assumiu o cargo de secretário-executivo.

Desistência da indicação

Na terça-feira (20), Roberto Jefferson, que é pai de Cristiane Brasil, divulgou em sua conta no Twitter a decisão de desistir da indicação da deputada. Ele registrou que a atitude “visa a proteger a integridade de Cristiane e não deixar parada a administração do ministério”.

Ao deixar a reunião desta manhã, Jefferson disse que chegou a sugerir a Temer que reconduzisse ao cargo o ex-ministro Ronaldo Nogueira, que pediu demissão no fim do ano passado. Na ocasião, segundo o mensaleiro, o presidente teria recusado a sugestão e pedido o nome de uma mulher.

Leia também: Senado aprova intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro

"Ressentido, Ronaldo Nogueira tem povoado colunas de jornais com notinhas inverídicas recheadas de críticas vingativas ao partido e a Cristiane", narrou Jefferson em seu perfil no Twitter, em tom de protesto. "É agressão gratuita aos companheiros que apoiaram, no passado recente, sua indicação” para o Ministério do Trabalho, reclamou.

* Com informações da Agência Brasil

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-02-21/ministerio-do-trabalho.html