Presidente se reuniu com líderes da base aliada e ministros para contar votos a favor da matéria, mas previsão mais otimista ainda é abaixo do necessário; cúpula do PSDB ouve relator da proposta e secretário da Previdência

Presidente Michel Temer tem feito maratonas em busco de apoio para aprovar a reforma da Previdência
Lula Marques/Agência PT - 22.9.16
Presidente Michel Temer tem feito maratonas em busco de apoio para aprovar a reforma da Previdência

O presidente Michel Temer voltou a intensificar a maratona em busca de apoio para aprovar a  reforma da Previdência ainda neste ano na Câmara dos Deputados. Correndo contra o tempo em vista da proximidade do recesso parlamentar, que se iniciará oficialmente no dia 23, o peemedebista ofereceu café da manhã nesta quarta-feira (6) a líderes de partidos da base aliada e ministros para contabilizar os votos garantidos para a proposta. O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), também esteve na reunião.

Os participantes do encontro deixaram o Palácio da Alvorada comprometidos em dar duro na articulação política em busca dos 308 votos necessários para aprovar o pacote de alterações nas regras para a aposentadoria, embora mesmo as contas dos governistas indiquem que ainda falta apoio. O vice-líder do governo na Câmara, deputado Beto Mansur (PRB-SP), estimou que há atualmente 260 votos favoráveis à reforma da Previdência . Já o deputado Arthur Maia (PPS-BA), que foi relator do texto, contabiliza de 290 votos a favor e 310 contrários. 

Mansur disse acreditar que, assim como decidiu a bancada do PMDB nessa terça-feira , outros partidos devem fechar questão a favor do texto. “Estamos muito mobilizados durante toda essa semana para que possamos buscar números, ou seja, entre 315 a 320 votos para que o presidente da Câmara possa colocar em votação a reforma. Teremos uma reunião ainda nesta noite”, disse o parlamentar.

O deputado indicou ainda que, caso o governo avalie na reunião desta noite que já conseguiu reunir uma margem confortável de votos favoráveis, a proposta de reforma poderá ser levada a votação já na próxima semana.

Fundador do PSD, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou após o encontro que “o balanço é bastante favorável” e “melhorou sensivelmente a possibilidade de votação”. Sobre a bancada de seu partido, ele disse que de 38 parlamentares, 15 já estão favoráveis à reforma.

Leia também: STF julga validade de decisão da Alerj em vetar prisões e pode rever posição

PSDB

Um dos partidos que pode ser o fiel da balança na votação da reforma é o PSDB. A comissão executiva nacional do partido está reunida na sede da legenda em Brasília para discutir a proposta que modifica as exigências para acesso à aposentadoria. Os integrantes da cúpula tucana ouvem o próprio relator do texto, Arthur Maia, e também o secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano.

O presidente interino do partido, ex-governador de São Paulo Alberto Goldman, já anunciou que a agremiação apoia a proposta do Planalto, mas o momento de raxa interno pelo qual atravessa o PSDB significa que não há garantia de que todos seus integrantes aceitem o posicionamento da executiva nacional. O partido tem hoje 46 deputados no exercício do mandato.

Considerada fundamental pelo Planalto para garantir o equilíbrio das contas públicas nos próximos anos, a reforma da Previdência está pronta para ir a votação desde maio, mas teve sua tramitação interrompida devido ao surgimento das denúncias de executivos da JBS contra o presidente Michel Temer.

Leia também: TSE rejeita multar Lula e Bolsonaro por campanha eleitoral antecipada

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.