Ministro do Desenvolvimento Social disse que aumento deve ser entre 0,5 e 1% acima da inflação e já valeria entre março e abril de 2018, ano eleitoral

O ministro do Desenvolvimento Social anunciou que aumento pode valer já no mês de abril, Osmar Terra
Clarice Castro/ MDS 13.11.17
O ministro do Desenvolvimento Social anunciou que aumento pode valer já no mês de abril, Osmar Terra

O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, afirmou nesta segunda-feira (13) que o Programa Bolsa Família terá aumento maior do que a inflação. De acordo com o ministro, o valor deve ser entre 0,5 e 1% acima da alta geral dos preços.

Terra divulgou o aumento no Rio de Janeiro, durante o lançamento do Programa Emergencial de Ações Sociais, que prevê uma série de ações para as áreas da segurança pública, educação, esporte, direitos humanos, defesa, cultura e justiça nos municípios do estado. Também estavam presentes o presidente Michel Temer, o governador Luiz Fernando Pezão, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella e vários ministros de estado, como a ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois .

"[O reajuste] Deve ser acima da inflação. Alguma coisa acima da inflação. Pode ser meio por cento, um por cento. Então, o que vai ter lá pelo mês de março e abril, vai ser por aí", afirmou Terra, segundo informações da TV Globo.

O reajuste acontecerá em 2018, ano eleitoral. Mas o ministro disse acreditar ‘não ver problema nisso’.

Em 2017, o orçamento do Programa Bolsa Família é de R$ 29,3 bilhões. Para 2018, a proposta de orçamento enviada é de R$ 28,2 bilhões.

Em julho de 2016, o governo Temer reajustou o valor do benefício médio do Bolsa Família em 12,5%. Mas em 2017, o programa Bolsa Família não contou com aumento.

No governo da ex-presidente Dilma Rousseff, o Bolsa Família passou por reajuste de 19,2% em abril de 2011, e de 12,4%, em junho de 2014, também ano eleitoral.

Novo Orçamento

Terra avaliou que o reajuste para o programa foi possível, entre outros fatores, graças à nova meta fiscal , anunciada na semana passada.

O Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2018 original foi enviado ao Congresso Nacional em agosto. Ele previa que o governo federal teria receitas líquidas estimadas em R$ 1,199 trilhão e despesas totais de R$ 1,328 trilhão. Uma nova versão do projeto foi anunciada no último dia 30 de outubro e o governo espera contar com R$ 14,5 bilhões a mais em receitas em 2018.

No entanto, apesar as afirmações de Osmar Terra sobre o Bolsa Família, o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciou na semana passada a revisão do Orçamento de 2018 com a previsão de redução de R$ 4 no valor do salário mínimo , que passa de R$ 969 para R$ 965. Na data, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles , fez questão de enfatizar que a redução no valor do salário mínimo é prevista em lei, sendo que a meta do governo é fechar as contas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.