Veículos blindados apreendidos na Lava Jato são cedidos para a segurança do Rio

Secretária de Segurança Pública do estado foi autorizada a utilizar 46 automóveis que estão no galpão da Transportadora Trans-Expert
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebo/Agência Brasil
Operação Lava Jato: ex-governador Cabral e seu grupo contavam com um “banco paralelo” para dinheiro da corrupção

A Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro foi autorizada, nesta sexta-feira (4), a utilizar 46 veículos blindados aprendidos no âmbito da Operação Lava Jato. O juiz titular da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Marcelo Bretas, responsável pelas investigações da operação no Rio, expediu ofício ao secretário Roberto Sá, informando que os automóveis localizados em um galpão da Transportadora Trans-Expert – Vigilância e Transporte de Valores, em Santo Cristo, zona portuária do Rio, estão à disposição e que podem ser utilizados pelos órgãos de segurança pública do estado.

Leia também: Defesa ataca pedido de Janot para incluir Temer em inquérito contra PMDB no STF

A secretaria poderá vistoriar os veículos e informar à Justiça, com a maior brevidade possível, quais pretende utilizar, identificando-os. O juiz responsável pelas investigações da Operação Lava Jato no Rio pede, ainda, que sejam informados os automóveis sobre os quais há interesse da Secretaria de Segurança, com a avaliação, registrando-se o estado em que se encontra cada um, inclusive com fotografias.

Pedido

O delegado Vinicius Ferreira Domingos, titular da Delegacia de Combate às Drogas, solicitou  ao juiz Marcelo Bretas, no início de junho deste ano, que dez veículos blindados da empresa Trans-Expert ficassem como patrimônio para o estado do Rio de Janeiro. Na solicitação, o delegado alega que o governo se encontra em grave crise financeira e que as operações da delegacia especializada contra o tráfico de drogas são feitas em comunidades com alto poder de fogo.

Leia também: Janot pede que STF arquive cinco inquéritos contra parlamentares na Lava Jato

Lava Jato

De acordo com investigações da força-tarefa da Lava Jato, o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e seu grupo contavam com um “banco paralelo” para movimentar o dinheiro da corrupção. Esse papel era desempenhado pela transportadora Trans-Expert Vigilância e Transporte de Valores, que tinha um cofre usado para guardar e distribuir o dinheiro do grupo.

Leia também: Ex-secretário de Eduardo Paes é preso em desdobramento da Lava Jato no Rio

Os blindados foram apreendidos em julho, durante a Operação Ponto Final – desdobramento da Operação Lava Jato –, que teve por objetivo desarticular organização criminosa que atuava no setor de transportes do Rio e prendeu empresários do setor acusados de desvios de cerca de R$ 500 milhões.

* Com informações da Agência Brasil

Link deste artigo: http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2017-08-04/operacao-lava-jato.html