Advogados do ex-presidente alegam em recurso protocolado na noite dessa sexta-feira (14) que há "contradições, omissões e obscuridades" na sentença

Advogados de Lula alegam que juiz Sérgio Moro cerceou direito de defesa ao recursar documentos
Reprodução
Advogados de Lula alegam que juiz Sérgio Moro cerceou direito de defesa ao recursar documentos

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolaram na noite dessa sexta-feira (14) recurso contra a condenação do petista no caso tríplex na Lava Jato . A sentença que impôs a Lula pena de 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro foi proferida pelo juiz Sérgio Moro na quarta-feira (12).

No documento de 67 páginas (confira a íntegra ao fim do texto), a defesa de Lula alega que há "contradições, omissões e obscuridades" na decisão do juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba. Entre os argumentos apresentados no recurso, que será julgado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), está a "ausência de imparcialidade" do juiz Moro para julgar as acusações contra o ex-presidente.

Os advogados alegam que houve cerceamento da defesa quando o magistrado negou a inclusão de arquivos pedidos pelos defensores do ex-presidente e autorizou a juntada de "documentos selecionados" pelo Ministério Público Federal.

Também é apontado pelos advogados Cristiano Zanin Martins, Roberto Teixeira, José Roberto Batochio e Valeska Teixeira Martins que o juiz Sérgio Moro desconsiderou "fartos elementos de prova que mostram que o ex-presidente Lula jamais teve a propriedade ou a posse" do apartamento 164-A do Condomínio Solaris, no Guarujá.

Leia também: Movimentos sociais marcam ato em defesa de Lula em vários estados

"Única prova nesse processo é a da minha inocência"

O ex-presidente Lula voltou a alegar sua inocência em evento realizado na manhã deste sábado (15) na sede do Partido dos Trabalhadores em Diadema, no ABC Paulista – berço histórico do PT.

Em discurso em tom de comício, o petista criticou a atuação do juiz Moro e da força-tarefa da Lava Jato, que, segundo ele, estariam "servindo aos interesses" de parte da imprensa que apoiou o impeachment de Dilma Rousseff.

"A única prova que existe naquele processo é a prova da minha inocência. A sentença não disse em nenhum momento qual foi o benefício que eu recebi", disse Lula. 

"Ele [Moro] não fez a sentença só para me prejudicar. Ele estava prestando contas a quem os criou, que foi a imprensa brasileira. Eles odeiam o PT. Alguns setores da imprensa fazem o papel de tornar verdade a mentira da Polícia Federal. Depois, ela torna verdade a mentira que o Ministério Público. O Moro aceita a mentira", esbravejou o petista. 

Leia também: Governo liberou R$ 134 milhões a deputados que votaram a favor de Temer na CCJ

Confira a íntegra do recurso de Lula na Lava Jato:


    Leia tudo sobre: Lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.