Ex-ministro da Justiça decidiu retomar lugar na Câmara e, com isso, Rocha Loures deixa o mandato e perde a prerrogativa de foro privilegiado

Osmar Serraglio foi sacado do Ministério da Justiça e retornará à Câmara; servidores da CGU não o queriam na pasta
Reprodução/Twitter
Osmar Serraglio foi sacado do Ministério da Justiça e retornará à Câmara; servidores da CGU não o queriam na pasta

O ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio surpreendeu o governo e decidiu rejeitar o convite do presidente Michel Temer para assumir o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU). Ele irá retomar seu mandato como deputado federal no lugar de seu suplente, Rocha Loures (PMDB-PR), que perde a prerrogativa do foro privilegiado ao deixar a Câmara.

Osmar Serraglio  foi substituído por Torquato Jardim  no Ministério da Justiça no último fim de semana. Temer queria que ele assumisse a CGU, pasta que era chefiada justamente por Torquato Jardim. Conforme apuração da reportagem do iG ,  a bancada do PMDB na Câmara foi comunicada sobre o convite feito a Serraglio e apoiava a troca de ministérios , mas o ex-chefe da Justiça pretendia conversar com Temer antes de tomar sua decisão.

O presidente Michel Temer, no entanto, não o recebeu nessa segunda-feira (29) e ainda deixou o Planalto no início da tarde para viajar a São Paulo. Ele só deve retornar à Brasília no meio da tarde desta terça-feira (30). Sem que a conversa pudesse ser colocada em prática, Serraglio decidiu declinar do convite de uma vez.

O retorno de Serraglio para a Câmara dos Deputados fará com que Rodrigo Rocha Loures, o deputado que foi filmado carregando mala com R$ 500 mil enviados pela JBS, perca a prerrogativa do foro privilegiado.

Rocha Loures é investigado em inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal, ao lado do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e do próprio Michel Temer. Sem o mandato como parlamentar, Loures passará a ser processado na Justiça comum.

Leia também: "Tem que tirar esse cara", disseram Aécio e Joesley Batista sobre chefe da PF

Rejeição

Outrora aliado de Eduardo Cunha na Câmara dos Deputados, Serraglio foi sacado do Ministério da Justiça por perder o poder de interlocução com a Polícia Federal, conforme informou o Blog Esplanada, do iG. 

O baixo moral do peemedebista com os agentes federais remete a episódio de março deste ano, quando Serraglio foi flagrado em grampo telefônico da Operação Carne Fraca  conversando com Daniel Filho, apontado como líder do esquema envolvendo agentes de fiscalização e frigoríficos.

Na tarde desta segunda-feira, grupos de funcionários da Controladoria-Geral da União também fizeram protesto em frente à sede do ministério contra a nomeação de Osmar Serraglio para a Transparência. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.