Em depoimento à Justiça Federal nesta terça-feira, doleiro afirmou que duas parcelas de aproximadamente R$ 400 mil foram entregues à cunhada do tesoureiro do PT, Vaccari Neto

Agência Brasil

Durante audiência, doleiro declarou não recordar a data em que os pagamentos foram feitos
VAGNER ROSARIO
Durante audiência, doleiro declarou não recordar a data em que os pagamentos foram feitos

O doleiro Alberto Youssef disse nesta terça-feira (31), em depoimento à Justiça Federal, que fez dois pagamentos ao PT, por meio de uma empresa de fachada, a mando da Toshiba. Segundo Youssef,  as duas parcelas, de aproximadamente R$ 400 mil, foram entregues pessoalmente à cunhada do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, por um funcionário da empresa, identificado como Piva.

Durante a audiência, o doleiro declarou não recordar a data em que os pagamentos foram feitos, mas afirmou que indicou o período quando prestou depoimento de delação premiada aos investigadores da Operação Lava Jato.

“Eu cheguei a usar uma das empresas de Waldomiro [ex-funcionário de Youssef] para fazer uma operação para Toshiba, em que eu pude, não só pagar ao Partido Progressista [PP], a Paulo Roberto Costa [ex-diretor da Petrobras], mas, também, pagar ao Partido dos Trabalhadores [PT]”, disse.

Segundo Youssef, um dos pagamentos foi feito em frente à sede do PT em São Paulo. "O primeiro valor foi retirado no meu escritório pela cunhada dele [Vaccari]. Eu entreguei esse valor pessoalmente. O segundo valor foi entregue na porta do diretório do PT Nacional, pelo meu funcionário Rafael Ângulo para o funcionário da Toshiba, para que ele pudesse entregar esse valor para o Vaccari", relatou.

Leia também:

CPI da Petrobras antecipa para 9 de abril depoimento do tesoureiro do PT

Comissão da Câmara aprova proposta que reduz maioridade penal

Em nota divulgada à imprensa,  o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, negou que tenha recebido dinheiro enviado por Alberto Youssef. Vaccari também afirmou que todas as doações recebidas pelo partido foram feitas dentro da lei e declaradas à Justiça.

“Chama a atenção o fato de que, na delação realizada em fevereiro, Youssef afirmou que uma suposta entrega do dinheiro teria sido feita em um restaurante em São Paulo. No depoimento de hoje, se contradiz e afirma que foi na frente da sede do PT”, rebateu o partido. Essa Secretaria de Finanças reitera que todas as doações que o Partido dos Trabalhadores recebe são feitas na forma da lei e declaradas à Justiça”.

A Toshiba declarou, em nota, que “uma vez que já apresentou todas as informações para a autoridade responsável”, não tem comentários a fazer.

O depoimento prestado nesta terça-feira (31) ao juiz federal Sérgio Moro, responsável pela investigação da Lava Jato, refere-se ao processo que envolve o Laboratório Labogen, investigação preliminar à descoberta dos desvios na Petrobras.

Na audiência, Youssef confirmou que era sócio do laboratório e procurou o ex-deputado federal André Vargas para que pudesse ter "portas abertas" no Ministério da Saúde. O doleiro também confirmou que recebeu dinheiro em contas no exterior, pagos pelas empresas Braskem, Odebrecht, UTC, Andrade Gutierrez, Engevix.

Veja quem são os políticos que estão na lista da Operação Lava Jato:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.