Morre em São Paulo o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-ministro foi internado no Hospital Sírio-Libanês nesta terça-feira para tratar descompensação de fibrose pulmonar

O advogado e ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, de 79 anos, morreu no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital na manhã desta quinta-feira (20).

Ex-ministro Márcio Thomaz Bastos é internado em hospital em São Paulo

Thomaz Bastos, um advogado acima de qualquer suspeita

Marcio Thomaz Bastos deixa defesa de Carlinhos Cachoeira

O ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos foi internado na região central de São Paulo, no início da tarde desta terça-feira (18). De acordo com boletim médico assinado pela equipe coordenada pelo médico Daniel Deheinzelin, Thomaz Bastos foi internado para tratar de uma descompensação de fibrose pulmonar.

O corpo do ex-ministro será velado na Assembleia Legislativa de São Paulo.

A fibrose pulmonar é uma doença irreversível nos pulmões na qual o tecido pulmonar normal vai gradativamente tendo aumento de fibras como parte do processo de cicatrização do órgão debilitado.

Alan Sampaio / iG Brasília
Marcio Thomaz Bastos, advogado do ex-diretor do banco rural José Roberto Salgado


Histórico

Márcio Thomaz Bastos foi ministro durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre os anos 2003 e 2007. Entre ações dele quando esteve à frente da pasta, destacam-se a aprovação do Estatuto do Desarmamento, em 2003; e a aprovação da Emenda Constitucional n° 45, conhecida como a Reforma do Poder Judiciário, em 2004.

Ex-ministro da Justiça culpa caos nos presídios por onda de violência no País

Bastos atuou durante os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte, como presidente do Conselho Federal da OAB. Em 1990, após derrota de Lula nas eleições presidenciais, aproximou-se do Partido dos Trabalhadores (PT). Ele também foi um dos redatores do pedido de impeachment do então presidente Fernando Collor (1990-1992). Em 1996, fundou o Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD), que é uma organização da sociedade civil.

Natural de Cruzeiro, no interior paulista, Bastos formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP) em 1958, tendo atuado no ramo do direito criminal. O ex-ministro foi vereador pelo Partido Social Progressista (PSP) na sua cidade natal de 1964 a 1969. Foi representante das entidades de classe dos advogados, presidindo a seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) entre 1983 e 1985.

Após dois dias internado, o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos morreu, nesta quinta-feira (20), em São Paulo. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABrThomaz Bastos foi um dos mais renomados advogados criminalistas do País; ele morreu aos 79 anos. Foto: Nelson Jr./SCO/STFThomaz Bastos foi ministro da Justiça do governo Lula entre 2003 e 2007. Foto: Ivone PerezApós deixar o ministério, atuou em casos de grande repercussão nacional, sendo muitas vezes criticado por suas escolhas. Foto: Nelson Jr./SCO/STFDefendeu, entre outros, o ex-médico Roger Abdelmassih, condenado por estupro de pacientes, preso em agosto. Foto: Ivone PerezTambém defendeu o bicheiro Carlinhos Cachoeira, suspeito de participar de esquema de jogos ilegais. Foto: Futura PressDilma Rousseff: o País perdeu um grande homem, o Direito brasileiro perdeu um renomado advogado e eu perdi um grande amigo. Foto: Fotos PúblicasMorreu o melhor advogado de todos os tempos do Brasil, uma das melhores cabeças que o Brasil tinha, disse o advogado Celso Sanchez Vilardi. Foto: Dida Sampaio/AEcachoeira. Foto: André Dusek/AEMarcio Thomaz Bastos foi ministro da Justiça no governo Lula. Foto: Agência BrasilMarcio Thomaz Bastos. Foto: Agência BrasilMarcio Thomaz Bastos, advogado do ex-diretor do banco rural José Roberto Salgado. Foto: Alan Sampaio / iG Brasília


Leia tudo sobre: morteMárcio Thomaz Bastos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas