Aécio e Dilma sobem tom, se acusam e esquecem propostas no 1º debate do 2º turno

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Dois presidenciáveis fizeram confronto agressivo e acalorado, abordando corrupção, nepotismo, inflação, saúde e educação

Iniciando os debates presidenciais do segundo turno, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) se confrontaram na noite desta terça-feira (14), na Rede Band, em São Paulo. Subindo o tom em relação ao primeiro turno, os dois fizeram atuações agressivas. Por diversas vezes, ambos os candidatos à Presidência da República se acusaram de mentir em suas respostas.

Entre os temas que levaram o confronto a ficar mais acalorado, estiveram às denúncias de corrupção na Petrobras, nepotismo no governo tucano em Minas Gerais e a construção de um aeroporto da cidade mineira de Cláudio na administração de Aécio no Estado, saúde, programas sociais, inflação e bancos públicos.

No primeiro debate do segundo turno, Dilma Rousseff (PSDB) e Aécio Neves (PSDB) fizeram agressivo embate . Foto: ReutersDilma e Aécio durante o primeiro debate do segundo turno . Foto: ReutersPresidenciáveis se cumprimentam antes do debate da Rede Band . Foto: ReutersAécio aguarda o início do confronto com a adversária petista . Foto: ReutersAntes do debate, Dilma caminha estúdios da Rede Band . Foto: ReutersDilma durante o debate presidencial . Foto: ReutersPetista conversa com publicitário João Santana e assessora . Foto: ReutersDepois do debate, Aécio Neves foi cumprimentar a adversária Dilma Rousseff. Foto: ReutersDilma Rousseff (PT) chega a Rede Band para participar do debate presidencial . Foto: Marcos Bezerra/Futura PressAécio Neves (PSDB) conversa com jornalistas na sua chegada a Rede Band . Foto: Marcos Bezerra/Futura PressDilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) se posicionam no palco da Rede Band para o debate presidencial . Foto: Vitor SoranoMilitantes do PSDB na porta da Rede Band, emissora que apresentou o primeiro debate presidencial do primeiro turno . Foto: Vitor Sorano

Aécio acusou Dilma de ser tolerante com supostos casos de corrupção na Petrobras. "Todos nós brasileiros acordamos surpresos com novas denúncias... O que acontece na Petrobrás é um escândalo jamais visto", disse o tucano. A presidente e candidata à reeleição rebateu citando casos de desvios no governo do tucano Fernando Henrique Cardoso na Presidência, que segundo ela, não teriam sido investigados e sim engavetados pela administração do PSDB.

Dilma contra-atacou ainda lembrando a construção do aeroporto de Cláudio. A petista acusou o adversário de fazer a obra num terreno do tio-avô do tucano, que estaria o usando a pista privadamente, mesmo sendo ela pública. "Olhando nos seus olhos, digo que a senhora está sendo leviana, leviana", rebateu o candidato do PSDB.

Análise:
- Corrupção perde espaço no discurso de Aécio, que foca em programas sociais
- Dilma critica gestão de Aécio em Minas Gerais e aposta em comparações

A petista também acusou Aécio de praticar nepotismo, empregando uma irmã e primos quando governava Minas. "Basta procurar no meu governo e não achará nenhum parente meu", disse a petista. Visivelmente desconfortável, Aécio negou as acusações.

Por conta da estratégia de Dilma de comparar sua gestão na Prêsidencia com a de Aécio no governo mineiro, Minas foi assunto em boa parte do debate. Por diversas vezes, a petista lembrou que Aécio foi menos votado do que ela no Estado.  

Revidando o ataque, Aécio acusou Dilma de conhecer pouco o Estado, apesar de ter nascido lá. "Candidato e não deixei Minas a passeio. Saí de lá porque fui perseguida pela Ditadura Militar e fui presa por três anos", retrucou a petista. 

AP
Presidenciáveis trocam cumprimentos depois do debate

Baixo crescimento e inflação 

Além de citar a questão da Petrobras, Aécio usou o baixo crescimento econômico do Brasil e a alta da inflação para atacar Dilma. "Os empregos estão indo embora porque País que não cresce não gera emprego", criticou o candidato do PSDB. 

"É o pior desempenho da indústria nos últimos 50 anos. Eu vou resgatar a credibilidade do País. Vamos fazer crescimento garantindo o avanço nas políticas sociais", acrescentou o tucano, prometendo manter o Bolsa Família, assim com fez em outros momentos do confronto. 

Para responder, Dilma lembrou que a crise econômica é mundial e exaltou o fato ter uma baixo índice de desemprego. 

Saúde e campanha agressiva

No primeiro bloco, Dilma abriu embate criticando Aécio por não cumprir as metas de verbas para a área da saúde. Segundo a petista, o governo mineiro na gestão do senador desviou R$ 7,6 bilhões do Estado, que deveriam ser destinados para saúde.

"O senhor foi contra os Mais Médicos e agora suas propostas inviabiliza totalmente Mais Médicos", questionou Dilma. “Lamento que senhora esteja tão desinformada", rebateu Aécio. "Essa proposta Mais Especialidade é a nossa proposta. Temos dois candidatos de oposição aqui e não de continuidade", continuou o tucano.

Leia mais: Dilma acusa Aécio de não cumprir metas de investimento na saúde em MG

Aécio, por sua vez, criticou a petista por fazer um horário eleitoral agressiva no primeiro turno. “A senhora não se arrepende de ter feito uma campanha tão cruel contra os seus rivais no primeiro turno?", questionou ele. "Quem faz campanha cruel é você, candidato", contrapôs a adversária.

AP
Câmera registra o embate de Dilma e Aécio na Rede Band


Considerações finais

Nas suas últimas falas no debate, quando puderam falar diretamente ao eleitor, os dois candidatos adotaram estratégias diferentes  Dilma se colocou com a mais preparada para fazer o Brasil se desenvolver. Já Aécio se vendeu como o candidato que representa uma maneira moderna de fazer política. 

Bastidores: 
Vice de Marina diz que proposta de Aecio sobre reeleicao é um avanço
Governador da Bahia minimiza apoio do PSB a Aécio Neves
Albuquerque diz que Marina estará por inteiro na campanha de Aécio

"Há nove dias, mais de trinta milhões de brasileiros confiaram na nossa proposta de mudança. De lá pra cá, diversas forças políticas se aliaram a nós. Quero agradecer em nome de duas mulheres. A você, Renata Campos, pela singeleza como apoiou nossa campanha. E a você, Marina Silva. Eu não permitirei que este País seja dividido entre 'nós' e 'eles'. Quero fazer o governo da generosidade. Que respeite os avanços dos governos anteriores", afirmou Aécio.  

Em sua fala, Dilma disse que o País viver uma nova era na saúde e na educação. "Você que está agora para decidir, você deve se perguntar quem tem mais capacidade e experiência para garantir o que conquistamos e avançar nas mudanças. Quem tem compromissos verdadeiros com os trabalhadores. Quem tem apoio político para fazer as reformas que o país exige. Quem tem firmeza para garantir a expansão do Brasil no mercado internacional. Eu, como todos os brasileiros, quero um tempo novo."




compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas