Renata resiste ao convite para ser vice de Marina, diz irmão de Campos

Por Wanderley Preite Sobrinho - enviado do iG ao Recife | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Deputado federal Maurício Rands, também cotado para chapa, afirmou que característica da viúva é atuar na retaguarda

Antônio Campos, único irmão do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, afirmou nesta segunda-feira (18) em Recife que Renata Campos, viúva do ex-presidenciável do PSB, "resiste" em aceitar a indicação para disputar a vaga de vice-presidente na chapa agora encabeçada por Marina Silva (PSB/ Rede).

Aniversário: Para Renata, dia seguinte ao enterro de Eduardo Campos seria de festa

Datafolha: Marina empata com Aécio no 1º e com Dilma no 2º turno

A declaração foi feita minutos antes da reunião convocada pela viúva com membros do PSB pernambucano para reforçar o apoio à candidatura de Paulo Câmara ao governo do Estado. "Ela resiste a essa ideia, mas, se aceitar, terá o apoio da família", disse.

Filhos de famílias vizinhas, Eduardo e Renata Campos estavam junto há mais de 30 anos. Dançar era um dos passatempos do casal. Foto: Reprodução/Instagram Eduardo CamposRenata Campos, viúva de Eduardo Campos, com o filho Miguel no colo. Foto: Fotos PúblicasRenata, com o caçula Miguel no colo, e Campos, durante missa no início de agosto. Foto: Facebook/Eduardo CamposRenata (segunda da esquerda para a direita) com os quatro filhos. Foto: ReproduçãoRenata com Campos e o filho José Henrique, nascido em 2004. Foto: Reprodução/Instagram Eduardo CamposRenata, como Miguel no colo, Eduardo e a sogra, Ana Arraes (primeira à direita). Foto: Reprodução/Instagram Eduardo CamposRenata e Eduardo com Miguel, nascido em janeiro. Foto: Reprodução/Instagram Eduardo CamposRenata, com o caçula Miguel no colo, e Marina Silva: as duas se aproximaram na campanha. Foto: DIVULGAção/PSB

Disputa: Apontado como vice de Marina, Beto Albuquerque nega favoritismo

Logo depois de entrar no auditório, o deputado federal Maurício Rands - também cotado para ocupar o posto - chegou ao encontro negando sua indicação. "Nós decidimos que sou um dos coordenadores do programa de governo e meu papel é de articulação, de retaguarda."

Sobre a possibilidade de Renata ocupar esse papel, disse que ela é considerada uma "grande administradora" em razão do sucesso em conduzir um programa para gestantes no Estado. Afirmou, no entanto, que a característica da viúva também é atuar na retaguarda: "E é provável que continue assim."

Marina Silva

Rands defendeu que o partido fatie o programa de governo, a ser divulgado depois de quarta-feira (20), em temas que contem com a assinatura de Marina Silva "para que o povo tenha consciência de que a aliança é programática".

Análise: Candidatura de Marina ameaça primeiro Aécio

Sobre a pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda, que coloca Marina em empate técnico com Aécio Neves (PSDB), Rands afirmou que "o Brasil é complexo demais para viver a polarização entre vermelho e azul". "A tragédia acelerou o inevitável: Marina estará no segundo turno."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas