Herdeiro político, filho de Campos perdeu quedas de braço para a prima vereadora

Por Wanderley Preite Sobrinho , enviado do iG ao Recife |

compartilhe

Tamanho do texto

Marília Arraes barrou João Henrique para a Juventude do PSB e sua candidatura a deputado. Por fim, declarou voto em Dilma

Apontado por si mesmo como herdeiro político do pai e ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, João Henrique Campos, de 20 anos, precisou adiar por duas vezes sua entrada na política ao perder sucessivas quedas de braço para a vereadora de Recife pelo PSB Marília Arraes, de 30 anos, sua prima de segundo grau.

João Henrique, 20 anos: O sucessor político, e de sangue, de Eduardo Campos

Acidente aéreo: Morre Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência

Segundo dos cinco filhos do ex-governador com Renata Lima Campos, João Henrique ganhou os holofotes logo após a morte do pai em um acidente de avião na cidade de Santos (SP) na quarta-feira (13). Além da semelhança física, o rapaz se apressou em mandar um recado pelo primo Joaquim Pinheiro, que em frente à mansão da família contou a jornalistas o que pensa o garoto sobre o legado do pai: "João disse que perdeu o pai, perdeu um líder, mas tem que dar um jeito para que a bandeira dele não caia, que os ideias dele sejam o futuro do País."

No dia da morte de Campos, vereadora postou foto de seu casamento: 'A perda tão brusca faz que seja difícil acreditar que é verdade'. Foto: Facebook/ReproduçãoMarília publicou foto com Campos no Facebook na quinta: 'Nossa ligação familiar é mais forte do que as divergências políticas', disse em comentário. Foto: Facebook/ReproduçãoMarília (4ª à E) postou foto dela e os primeiros, incluindo Campos (1º à E) em 15 de agosto. Foto: Facebook/ReproduçãoMarília Arraes participa do lançamento oficial da candidatura do ex-vereador Dilson Peixoto a deputado federal pelo PT (31/7). Foto: Facebook/ReproduçãoMarília Arraes (2ª à D) participa do lançamento oficial da candidatura do ex-vereador Dilson Peixoto a deputado federal pelo PT (31/7). Foto: Facebook/ReproduçãoA vereadora de Recife pelo PSB Marília Arraes dá uma coletiva em 18 de julho. Foto: Carlos Vannoni/ Reprodução FacebookNo dia dos namorados, Marília postou foto de seu casamento com o marido, Luiz Felipe. Foto: Facebook/ReproduçãoMarília recebeu em 20 de maio a homenagem Mulher que Alimenta o Mundo, promovida pelo Comitê da Ação da Cidadania contra a fome. Foto: Facebook/ReproduçãoEm 6 de março de 2013, Marília postou foto em homenagem ao ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, morto no dia anterior. Foto: Ricardo Stuckert

A investida do garoto é a terceira este ano. As tentativas anteriores de entrar na política se depararam com a prima Marília, primeira neta do patriarca da família, o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes. Em junho, ela surpreendeu os familiares ao se rebelar contra o primo de primeiro grau e então candidato à Presidência Eduardo Campos e suas pretensões de emplacar o filho na secretária-geral da Juventude do PSB no Estado.

Reclusos em mansão: Filhos de Campos rezam missa e mãe passa mal

Em uma carta aberta publicada em sua página no Facebook, Marília afirma que Campos decidiu intervir nas duas chapas que disputavam a vaga no voto para emplacar o filho, “sem envolvimento na juventude partidária”. A intenção de Campos, de acordo com ela, era garantir um atalho para que o garoto assegurasse assento na Executiva Estadual do PSB.

De acordo com aliados de Campos, a vereadora jogou água nas pretensões do primo porque pretendia reassumir o cargo de secretária estadual da Juventude, que ela ocupou duas vezes, e que em breve poderia terminar com João. Diante da repercussão negativa, Campos abortou a investida e passou a planejar o lançamento da candidatura de João a deputado federal, mas Marília estava novamente no caminho.

Carlos Percol: Assessor morto em acidente de Campos havia casado há apenas 4 meses

A prima passou a reivindicar a vaga por ter maior experiência política (é vereadora pela segunda vez). O clima azedou novamente e João divulgou uma carta atrelando sua desistência em entrar na disputa à necessidade de terminar o curso de engenharia civil na Universidade Federal de Pernambuco. "Prefiro me preparar melhor para assumir o grande desafio que é defender o legado de Miguel Arraes e Eduardo Campos”, escreveu antes de alfinetar a prima: “Espero ser reconhecido pelos meus méritos e não pelas minhas ligações familiares.”

Reprodução/Facebook
Segundo filho de Eduardo Campos, João Henrique é filiado ao PSB

Em retaliação, Campos vetou o nome da prima na disputa pela vaga no Congresso. Contrariada, Marília aprontou a última ao, no final de julho, declarar apoio ao senador Armando Monteiro (PTB), que concorre ao governo de Pernambuco contra Paulo Câmara (PSB). Mais: aproveitou para também declarar voto em Dilma Rousseff na corrida presidencial.

Perfil: Perto da velha política, Eduardo Campos pregava a renovação

Ao lado dos desafetos da família Arraes, Marília disse que Campos pregava uma nova política, mas indicava candidatos biônicos para disputar as eleições. “Não acredito que Eduardo Campos seja a melhor opção para o País.”

João Henrique Campos vai tentar repetir o sucesso do pai, eleito deputado estadual em 1990 aos 25 anos. Diferentemente do ex-governador, que teve a carreira alavancada por Arraes no auge, João terá de iniciar seus passos na política sem os conselhos e a influência do pai.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas