Dita por Campos ao JN, frase já foi repetida até por Lula, adversário do PSB; equipe nega intenção de oficializá-la

Eduardo Campos disse "não vamos desistir do Brasil" no fim da entrevista ao Jornal Nacional, na terça-feira (12), de caso pensado. Pouco antes de entrar no ar, comentou com sua equipe que usaria a frase durante a entrevista.

Frase 'não vamos desistir do Brasil' em homenagem a Eduardo Campos. Frase tem potencial para se tornar novo bordão da campanha do PSB
Reprodução/Facebook
Frase 'não vamos desistir do Brasil' em homenagem a Eduardo Campos. Frase tem potencial para se tornar novo bordão da campanha do PSB

"Foi uma coisa que ele decidiu falar. Que eu saiba foi ele [ que criou ]", disse uma fonte da equipe de campanha do PSB, ao iG , sob condição de anonimato.

Não se sabe se a ideia de Campos era criar um novo mote e a campanha nega que esteja pensando em adotar a frase como novo lema. Mas, alçadas à condição de últimas ditas pelo candidato ao grande público, as cinco palavras têm se reproduzido na internet, na rua e até mesmo na boca de um dos maiores adversários que o PSB terá de enfrentar neste primeiro turno.

"Acho que as pessoas gostaram dela. O Lula disse ela hoje", afirmou outra fonte da campanha do PSB.

Veja fotos da trajetória de Eduardo Campos:

Assista: Vídeo mostra momento exato da explosão do avião de Eduardo Campos

A entrevista de Campos ao JN foi ao ar na noite de terça e, às 9h do dia seguinte, minutos antes de Campos embarcar no voo que causou sua morte, a equipe do candidato publicou o link para o vídeo na página do candidato no Facebook, precedido do texto:

"Eduardo foi entrevistado ontem à noite na bancada do Jornal Nacional e, muito firme, convocou o povo brasileiro: Não vamos desistir do Brasil", diz a publicação. A postagem seguinte seria uma tarja preta, em sinal de luto, algumas horas depois do acidente.

Na quinta-feira (14), a frase dava nome a pelo menos três comunidades no Facebook. Em Santos, membros da Juventude PSB chegaram a pintá-la no chão durante homenagem ao líder morto. 

O lema oficial da campanha de Eduardo e Marina, "Coragem para Mudar o Brasil", deixou de estampar a página oficial da candidatura na internet ( www.eduardoemarina40.com.br ). Todo o conteúdo foi substituído por uma nota oficial da Coligação Unidos pelo Brasil, que começa com "Não vamos desistir do Brasil". 
O texto também foi publicado na página de Marina Silva no Facebook.

Veja também: Marina pede respeito e que não se fale em política até enterro de Campos

Homenagem a Eduardo Campos com a frase 'não vamos desistir do Brasil', que tem potencial para se tornar o novo bordão da campanha do PSB
Reprodução/Facebook
Homenagem a Eduardo Campos com a frase 'não vamos desistir do Brasil', que tem potencial para se tornar o novo bordão da campanha do PSB

Dois textos de autoria de integrantes de partidos da coligação da candidatura de Campos publicados na quinta tiveram a frase como título. Em um deles, Antônio Campos, irmão de Edurado e integrante da direção nacional do PSB, sugere que Marina seja indicada como nova candidata do partido à Presidência . No outro, Ricardo Young, vereador do PPS em São Paulo, recorda o legado do ex-governador de Pernambuco.

Apoio: Irmão de Eduardo Campos defende candidatura de Marina Silva

Ainda na quinta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – principal cabo eleitoral de Dilma Rouseff (PT), candidata à reeleição – ecoou as últimas palavras de Campos:

"Eu acho que uma fala que o Eduardo disse [ pouco ] antes de morrer. Ou seja, eu acho que é isso que a classe política e sobretudo a juventude que quer entrar na política precisa acreditar", disse Lula . "Ou seja, não desistir nunca do Brasil."

O fato foi anotado na campanha do PSB, e a interpretação dada pelo ex-presidente ecoa por ali.

Frase
Reprodução
Frase "não vamos desistir do Brasil" nota da coligação de Eduardo Campos em razão da morte do candidato

"Foi uma coisa que ele disse e a gente não tem uma estratégia [ de adotá-la oficialmente ]", disse uma das fontes da equipe de campanha. "A grande preocupação dele era que as pessoas desistissem da política. Ele sabia que dependia da mobilização [ para conquistar a Presidência ]."

Cenários: Para PT e PSB, clima de comoção pode impulsionar Marina Silva

A frase voltou a ser usada nesta sexta-feira (15), em texto do ex-governador de Pernambuco Jarbas Vasconcelos –  adversário histórico com quem Campos se reconciliou neste ano.

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.