Polícia Federal vai analisar circunstâncias e possibilidade de caso de imperícia, imprudência ou falha técnica na aeronave

A Polícia Federal (PF) anunciou, no início da noite desta quarta-feira, a abertura de inquérito criminal para apurar as circunstâncias do acidente com o avião em que viajava o ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da república, Eduardo Campos (PSB). Além do político, outras seis pessoas morerram na queda, entre eles assessores, fotógrafo e pilotos.

Saiba mais: Leia todas as notícias sobre a morte de Eduardo Campos

Veja imagens da tragédia em Santos:

No início desta tarde, onze peritos da Polícia Federal foram encaminhados até a cidade de Santos, no litoral paulista, para começar o processo de investigação. Eles irão analisar se houve algum ato de imperícia, imprudência ou falha técnica na aeronave que tenha provocado o incidente. Os peritos também ajudarão no trabalho de identificação dos corpos.

O âmbito de investigação da PF, nesse caso, é criminal. Ou seja, o órgão tem a competência para apontar possíveis responsáveis pelo acidente e pedir a abertura de ação penal no caso. Também foi instituída uma investigação pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Forca Aérea Brasileira (FAB). Mas a investigação do Cenipa tem um caráter mais técnico e se atém à apenas questões relacionadas ao funcionamento da aeronave.

Movimentação de bombeiros na região onde caiu a aeronave de Eduardo Campos (13/08)
Marcos Bezerra/Futura Press
Movimentação de bombeiros na região onde caiu a aeronave de Eduardo Campos (13/08)

Entre as informações que a PF vai investigar está uma denúncia do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) de que os pilotos do avião Geraldo Cunha e Marcus Martins estavam trabalhando acima do período regulamentar de 11 horas. Os peritos da PF e do Cenipa já conseguiram acesso à “caixa-preta” do avião e devem começar a análise de dados já a partir desta quinta-feira (14). Esse processo de investigação deve ocorrer em caráter sigiloso conforme a Lei Federal 12.970 sancionada na sexta-feira da semana passada.

Pelas primeiras informações divulgadas pela FAB, existem duas hipóteses que começam a ser investigadas: um possível erro do piloto ou uma falha mecânica, apesar do avião estar com todas as suas revisões em dia, conforme informações da FAB.

A FAB informou que a aeronave decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao aeroporto de Guarujá (SP). Segundo a FAB, quando o avião se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.