Por apoio do PR, Dilma tira César Borges dos Transportes

Por Luciana Lima - iG Brasília | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ele será substituído por Paulo Sérgio Passos, que já passou pela pasta anteriormente. Planalto pretende divulgar nota oficial nesta tarde, confirmando a mudança

Para selar o apoio do PR a sua reeleição, a presidente Dilma Rousseff decidiu ceder às pressões da sigla aliada e remover o ministro César Borges dos Transportes. A decisão de Dilma ocorre após meses de resistência da presidente. A petista passou boa parte das últimas semanas afirmando a interlocutores mais próximos que não aceitaria ser colocada contra a parede pela sigla aliada.

Mais: Partidos fazem chantagem de última hora em troca de apoio eleitoral

Embora seja filiado ao PR, Borges é tido como uma escolha técnica da presidente e não uma indicação da legenda. O partido se queixava da atuação independente do ministro, que, segundo colegas de partido, não fazia consultas à cúpula partidária, nem compartilhava decisões tomadas no comando da pasta.

Ele será substituído por Paulo Sérgio Passos, que já passou pela pasta anteriormente. Borges será realocado na Secretaria de Portos. Atual titular da pasta, Antonio Henrique Silveira permanecerá nos Portos, mas na função de secretário-executivo.

No fim das contas, pesou mais para Dilma a composição do palanque eleitoral, principalmente depois que o PTB anunciou, no último fim de semana, a decisão de deixar a aliança em torno de Dilma e aderir à campanha presidencial do tucano Aécio Neves (PSDB-MG).

Assim que veio à tona a notícia sobre o desembarque petebista, petistas já circulavam na convenção que oficializou a campanha de Dilma, no último sábado, dando como certa a troca de comando no Ministério dos Transportes.

A presidente queria, entretanto, uma fórmula para manter Borges no governo, encontrada com o remanejamento na Secretaria dos Portos. A equação recebeu na noite de ontem o aval do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se reuniu com Dilma e a coordenação da campanha petista.

O Planalto pretende divulgar nota oficial nesta tarde, confirmando a mudança.

Leia tudo sobre: políticaprdilmacésar borges

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas