‘Nem Jesus Cristo agradou todo mundo’, diz Xuxa sobre deputado que a hostilizou

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Apresentadora de TV, que foi a Brasília em apoio à aprovação da Lei da Palmada, agradece mensagem dos fãs nas redes sociais e diz que Pastor Eurico ‘já teve o seu momento de fama’

A apresentadora Xuxa Meneghel disse nesta sexta-feira em sua página oficial do Facebook que o deputado Pastor Eurico (PSB-PE) já teve o seu momento de fama e que não se pode culpar os evangélicos pela atitude do parlamentar. “Minha mãe é evangélica e me ensinou que nem Jesus Cristo agradou todo mundo, por que eu iria?”, afirmou a apresentadora em seu perfil. Eurico hostilizou Xuxa na última quarta-feira durante sessão da CCJ da Câmara para votar a Lei da Palmada, que proíbe castigos físicos a crianças e adolescentes.

Lei da Palmada: Xuxa manda ‘coração’ a deputado que a hostilizou em votação

Após polêmica com Xuxa: Câmara aprova Lei da Palmada e proposta vai ao Senado

Ao lado de Xuxa, Dilma sanciona lei que torna hediondo abuso sexual de crianças

“Gente , tava lendo o desabafo e a opinião de vcs sobre o acontecido no Congresso, por favor , não culpem os evangélicos, minha mãe é evangélica e me ensinou que nem Jesus Cristo agradou todo mundo, pq eu iria? Sei que minha mãe ficou muito triste com esse senhor. Mas ele já teve o seu momento de fama, não vamos dar mais força a ele.
Mais uma vez obrigada pelas lindas palavras de carinho e respeito com meu trabalho, vou precisar de vcs , e muito, e sei que vou poder contar sempre ,vejo isso lendo cada palavra de amor de vcs por mim, bgd bgd bgd bgd : )”, disse Xuxa no Facebook.

Xuxa e o neto de Renan Calheiros durante aprovação da Lei da Palmada. Foto: Agência SenadoXuxa chega ao Senado para acompanhar a votação da Lei da Palmada e é recebida por Renan. Foto: Marcos Oliveira/Agência SenadoXuxa reage à hostilidade de deputado na CCJ da Câmara. Foto: Agência CâmaraPastor Eurico (PSB-PE) hostilizou Xuxa em sessão da CCJ da Câmara. Foto: Agência CâmaraAo lado da ministra Ideli, Xuxa participa de votação sobre Lei da Palmada na Câmara. Foto: Agência CâmaraXuxa participa de votação da CCJ da Câmara sobre a Lei da Palmada. Foto: Agência CâmaraXuxa participa de votação da CCJ da Câmara sobre a Lei da Palmada. Foto: Agência CâmaraXuxa participa de votação da CCJ da Câmara sobre a Lei da Palmada. Foto: Agência CâmaraXuxa participa de votação da CCJ da Câmara sobre a Lei da Palmada. Foto: Agência CâmaraXuxa participa de votação da CCJ da Câmara sobre a Lei da Palmada. Foto: Agência Câmara


Aos berros, durante a reunião da CCJ, o Pastor Eurico ofendeu Xuxa dizendo que “a conhecida rainha dos baixinhos, em 1982, provocou a maior violência contra as crianças em um filme pornô”. A declaração é uma referência ao filme "Amor Estranho Amor", em que Xuxa aparece seminua ao lado de uma criança. Em resposta, Xuxa apenas fez um coração com as mãos. Logo após a reunião da CCJ, o pastor foi destituído da comissão.

Após polêmica com Xuxa, a Câmara aprovou na própria quarta-feira a Lei da Palmada e proposta seguirá ao Senado. A lei vai se chamar Menino Bernardo, em homenagem a Bernardo, que foi encontrado morto, no Rio Grande do Sul, e cujos principais suspeitos do crime são o pai e a madrasta.

Veja abaixo como foi a discussão do Pastor Eurico


Leia tudo sobre: xuxalei da palmadapastor eurico

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas