Em SP, Lula compara Serra a Collor e Dilma diz que tucano repete 'baixo nível’

Presidenta defendeu Haddad em comício e coube a Lula fazer os ataques mais pesados contra Serra; evento na zona norte também teve a presença de Marta e outros ministros

iG São Paulo |

Em comício do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, a presidenta Dilma Rousseff afirmou neste sábado que sofreu com o tucano José Serra , seu adversário derrotado na disputa presidencial, "a mesma campanha baixo nível" que hoje ele faz contra o petista na capital paulista. "O que foi usado contra mim é parecido com o que foi usado contra o Haddad (...) durante toda a campanha, disseram que, primeiro, eu era um poste, depois disseram que eu não tinha competência para governar, depois insinuaram que eu era uma mulher que não iria fazer um governo de responsabilidade. Usaram de todos os argumentos contra mim, é a mesma campanha baixo nível que fizeram contra o Haddad fizeram contra mim", disse a presidenta.

Veja vídeo: Lula compara Serra a Collor e diz que ele 'tem sede de poder'

Campinas:  Ao lado de Dilma, Lula diz que PSDB só levou presídios e pedágios à cidade

Salvador: Dilma ataca ACM Neto e diz que Pelegrino joga em seu time

Futura Press
Dilma e Lula participam de comício de Haddad na zona norte da capital paulista

Em seguida, Dilma, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e alguns de seus ministros, fez a defesa do candidato petista e citou suas realizações à frente do Ministério da Educação, como o ProUni e o Fies. "Haddad é um dos companheiros mais competentes e experientes que eu conheço para governar São Paulo", afirmou. Em referência a Serra, a presidenta disse que Haddad é uma "pessoa que não tem raiva dos outros, que não quer vingar a menor desconfiança de que foi ofendido, Haddad faz parte do time que quer mudar a qualidade de vida de São Paulo, a competência dele vamos provar".

Adversário tucano:  Serra diz que PT tem 'ideias alucinadas'

Coube a Lula fazer as críticas mais contundentes contra Serra. Sobre a saída do tucano da prefeitura em 2006, o ex-presidente disse que Serra tem "uma sede de poder inigualável", afirmou que ele deixou São Paulo "na primeira enchente" para ser candidato a governador e que depois quis ser presidente, perdeu e que "agora não sabe ficar sem um mandato". "Deveria ficar quieto e disputar com ela (Dilma) em 2014 ou quem sabe 2018, 2030", afirmou o ex-presidente. E continou: "Mas voltar a querer ser prefeito de São Paulo? É imaginar que o povo é tonto. Será que não sabe que tem enchente em São Paulo? Ele vai cair fora logo. O que temos de tomar cuidado é com esse tipo de gente que nunca está contente com o mandato que tem". 

PT: Haddad diz que manterá estilo 'paz e amor' e não vai reagir a ataques de Serra

Ibope: Em São Paulo, Haddad tem 49% e Serra, 33%

O ex-presidente comparou Serra aos ex-presidentes Fernando Collor e Jânio Quadros (que renunciou) por não terminar seus mandatos. "Não foi prefeito, não foi governador, não foi presidente, não conseguiu cumprir o mandato. Essa gente precisa aprender a criar vergonha e cumprir o mandato", disse Lula sobre o Collor, hoje aliado do PT, que renunciou à Prefeitura de Maceió, ao governo de Alagoas e sofreu impeachment na Presidência. 

Lula também fez um discurso para que a militância não suba no salto alto e tome cuidado com o discurso "já ganhou". "A eleição é daqui a uma semana e até lá não ganhamos nada. Ninguém pode colocar sapato alto a não ser as mulheres que usam para sair, mas não para fazer política. Eleição é que nem mineração só se sabe o resultado depos da apuração", afimrou.

O ex-presidente rebateu ainda notícias que leu sobre divisão de cargos se Haddad vencer. "Ninguém pode querer comer o angu antes de ele estar pronto. É preciso deixar esfriar. Você, se Deus quiser, será o prefeito de São Paulo, mas falta uma semana, e o nosso adversário está a cada dia mais raivoso. Qualquer dia vai aparecer na TV babando de ódio. Não faça o jogo rasteiro que ele faz", aconselhou. "Jamais vou te pedir um cargo na prefeitura, mas vou te cobrar todos santo dia para você fazer o que está promentendo na campanha", terminou Lula.

Eleições 2012: Lula vai a dez comícios, só um na capital de São Paulo

Veja o especial do iG sobre as eleições 2012

Em seu discurso, antes de Lula e Dilma, Haddad rebateu as críticas de Serra de que ele não tem experiência para governar São Paulo. "O que meu adversário fala é que depois de 12 anos servindo três governos (da ex-prefeita Marta, do ex-presidente e da atual) que eu não tenho experiência para administrar São Paulo. Mas, da maneira como ele enxerga o mundo, talvez tenha razão. Porque para ele bom prefeito é o Kassab (Gilberto Kassab). Quem sabe administrar a cidade é o Kassab. Então ele não gosta de discutir a renovação na cidade, não fez uma proposta concreta para a cidade", afirmou. O candidato do PT disse que se vencer vai "desbloquear" a capital paulista.

Também estiveram presentes no comício o vice-presidente Michel Temer (PMDB), o candidato derrotado à prefeitura de São Paulo Gabriel Chalita (PMDB), além de Haddad, os minstros do Turismo, Marta Suplicy, da Educação, Aloizio Mercadante, e da Saúde, Alexandre Padilha. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG