PSDB diz que usará meios legais contra discurso de Dilma em rede nacional

Segundo nota divulgada pelo presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra, presidenta usou a máquina pública para atacar adversários e fazer propaganda eleitoral

Agência Estado |

Agência Estado

O presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE), divulgou neste sábado nota à imprensa em que acusa a presidenta Dilma Rousseff de usar a máquina pública para atacar adversários e de fazer propaganda eleitoral, em seu pronunciamento , em cadeia de rádio e TV, na noite de quinta-feira (6). O partido, segundo a nota, anunciou que usará dos meios legais e compatíveis contra o pronunciamento de Dilma.

Leia também:  'Anúncio de corte no preço da energia é eleitoreiro', diz líder da oposição

"A exemplo do que alguns de seus ministros vem fazendo nas campanhas municipais, prometendo tratamento privilegiado para os municípios que elegerem candidatos do PT, a presidente Dilma se valeu da prerrogativa de convocar uma cadeia nacional de rádio e TV para atacar a política de privatizações adotada pelo governo tucano do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, como se seu governo não tivesse aderido à mesma tese para garantir a retomada do crescimento da economia brasileira e obras indispensáveis para a infraestrutura do país", diz a nota.

Em resposta, o PT também divulgou uma nota para comentar as medidas anunciadas por Dilma. "O PT recebeu com muito entusiasmo o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff em rede nacional, principalmente quanto à decisão de reduzir as tarifas de energia elétrica. Trata-se de uma medida de grande alcance, que reafirma o seu compromisso com o crescimento da economia brasileira e a melhoria da qualidade de vida da população", comenta a curta nota assinada pelo presidente nacional do PT, deputado Rui Falcão.

Veja abaixo a íntegra da nota do PSDB:

"O uso indevido da máquina pública

Se não bastassem as dificuldades de o PT conviver com o contraditório, seus principais representantes no governo federal agora se valem da máquina pública para atacar adversários, tentar reduzir o desgaste sofrido pelo avanço das condenações no julgamento do mensalão e ainda beneficiar os candidatos da base aliada nas eleições municipais deste ano.

Foi exatamente isso que o país assistiu em cadeia nacional de rádio e TV, convocada pela presidente Dilma Rousseff no último dia 6 de setembro. O tradicional pronunciamento presidencial em comemoração ao Dia da Independência, este ano, ganhou contornos inusitados.

A menos de um mês das eleições municipais _ nas quais seu partido vem registrando um desempenho sofrível, tendo em vista que só lidera a disputa em uma das 27 capitais do país _ a presidente Dilma não se conteve apenas em exaltar seu próprio governo, anunciando a redução das tarifas de energia, uma medida que, curiosamente, só seria implementada de fato a partir de janeiro do próximo.

A exemplo do que alguns de seus ministros vem fazendo nas campanhas municipais, prometendo tratamento privilegiado para os municípios que elegerem candidatos do PT, a presidente Dilma se valeu da prerrogativa de convocar uma cadeia nacional de rádio e TV para atacar a política de privatizações adotada pelo governo tucano do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, como se seu governo não tivesse aderido à mesma tese para garantir a retomada do crescimento da economia brasileira e obras indispensáveis para a infraestrutura do país.

Por isso, o PSDB vem a público mais uma vez para anunciar que usará dos meios legais e compatíveis para defender a democracia brasileira e denunciar o uso indevido e eleitoral do último pronunciamento da presidente Dilma em cadeia nacional de rádio e TV.

Sérgio Guerra
Presidente nacional do PSDB e deputado federal"

*Com AE

    Leia tudo sobre: PTPSDBdilma rousseffpronunciamentoeleições2012

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG