João Paulo, réu do mensalão, falta a sessão de fotos de candidatos com Lula

Para evitar exposição às vésperas do julgamento, candidato a prefeito de Osasco deve fazer as fotos de campanha ao lado do ex-presidente em outro dia

Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

O deputado João Paulo Cunha (PT-SP), um dos 38 réus no processo do mensalão , foi um dos únicos candidatos a prefeito em cidades com mais de 100 mil eleitores que faltou à sessão de fotos com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta segunda-feira em um hotel na zona sul de São Paulo.

Banco dos réus: Quem são os 38 do mensalão e a que crime respondem

TV iG: Candidato do PT em Salvador 'rouba´declaração de Lula

Heinrich Aikawa/Instituto Lula
Lula posa com mais de 80 candidatos a prefeito em São Paulo

João Paulo é o único réu do mensalão a disputar as eleições municipais deste ano. Ele concorre à prefeitura de Osasco, na Grande São Paulo. A assessoria do deputado foi procurada, mas não soube informar o motivo da ausência. João Paulo não teve agendas públicas hoje.

TSE:  Brasil tem 4,8 milhões de novos eleitores

Segundo fontes próximas, o deputado evitou a exposição às vésperas do início do julgamento, marcado para começar nesta quinta-feira. Ele deve fazer as fotos de campanha ao lado de Lula em outro dia.

Leia também: Lula deve entrar na campanha de Haddad em 6 de agosto

São Paulo: Só 16% dos eleitores paulistanos fogem da polarização entre PT e PSDB

Além dele, também não compareceram os candidatos Gustavo Fruet (PDT), candidato a prefeito de Cutiriba, e Eduardo Paes (PMDB), que disputa a reeleição no Rio de Janeiro.

Em números: Processo do mensalão bate todos os recordes do STF

Tanto Fruet quanto Paes migraram do PSDB, fizeram forte oposição ao governo Lula e hoje disputam eleições com apoio do PT. Paes selou as pazes com o ex-presidente há mais de quatro anos. Fruet, que se filiou ao PDT há menos de dois anos, esteve recentemente no Instituto Lula para uma conversa amigável com o ex-presidente.

Uma fila com mais de 80 candidatos se formou desde o início da manhã na recepção do hotel usado por Lula para reuniões políticas desde a campanha de 2002. Devido ao estado de saúde do ex-presidente, que se recupera do tratamento contra um câncer na laringe, filmagens foram proibidas. Mesmo assim alguns candidatos apareceram com suas equipes de TV, que foram barradas.

O candidato à prefeitura de Salvador, Nelson Pelegrino (PT), apelou para a tecnologia e foi o único a conseguir uma declaração gravada por Lula. Pelegrino usou seu próprio telefone celular para “roubar” uma declaração de apoio de sete segundos do ex-presidente antes do início da sessão de fotos.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG