Garotinho entrega à CPI documentos que comprometeriam Sérgio Cabral

Deputado e adversário político do governador do Rio diz que documentação comprovaria supostas irregularidades em contratos para a reconstrução da Região Serrana do Estado

Valor Online |

Valor Online

O deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) entregou à CPI do Cachoeira 68 quilos de documentos que, segundo ele, comprovariam o repasse irregular de recursos do governo do Estado do Rio de Janeiro à Delta Engenharia. A Delta foi investigada pela Polícia Federal por sua suposta ligação com o esquema do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

De acordo com Garotinho, as irregularidades seriam referentes a contratos para a reconstrução na Região Serrana do Rio, depois das enchentes do início de 2011.

Relembre: Oposição fez pressão para convocação do governador do Rio

Leia mais: Aécio ajudou 'amigo' Cabral a escapar de depoimento à CPI

Agência O Globo
O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), voltou a ser alvo de acusações de Anthony Garotinho, seu adversário político

Garotinho, ex-governador do Rio, é rival do atual governador do Estado, Sérgio Cabral (PMDB). Segundo o deputado, a Delta teria sido contratada para realizar obras de recuperação de Nova Friburgo, mas uma nota fiscal comprovaria que ela teria recebido por limpeza pública, serviço que estaria a cargo das empresas Locante, União Norte e da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb). "Eles receberam pelo serviço que os garis fizeram", afirmou o deputado.

Leia também: Cabral diz não temer quebra de sigilo da Delta

Especial iG: Fique por dentro de todas as notícias sobre a CPI do Cachoeira

Garotinho não soube informar o valor que a Delta teria recebido por esse contrato. A documentação também mostra que a empresa recebeu, nos últimos seis anos, R$ 250 milhões da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) em um contrato com irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio.

"São documentos oficiais do Tribunal de Contas da União (TCU), do TCE, da Controladoria-Geral da União (CGU), que eu fui requisitando ao longo desse período", disse.

Como não faz parte da CPI do Cachoeira, Garotinho disse que vai conversar com integrantes da Comissão, como o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ), para convocar Cabral.

Em maio, os parlamentares rejeitaram um requerimento que pedia a convocação do governador fluminense. À época, um vídeo revelou a proximidade entre o Cabral e Fernando Cavendish, ex-presidente da Delta.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG