Em vídeo, ex-delegado do DOPS pede que coronel Malhães vá à Comissão da Verdade

Personagem central do livro Memórias de uma Guerra Suja, que traz revelações inéditas sobre episódios importantes da ditadura, Claudio Guerra defende que ele e o coronel “contribuam com a verdade

iG Brasília |

O ex-delegado do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS ) Claudio Guerra quer que a Comissão da Verdade convoque o tenente-coronel reformado Paulo Malhães, de 74 anos, conhecido como “Doutor Pablo” para depor. Em vídeo, o homem que ajudou a torturar e executar adversários do regime militar, pede que o coronel o ajude a esclarecer “a verdade”.

Saiba mais:  “Militantes de esquerda foram incinerados em usina de açúcar”
Cláudio Guerra: um matador que se diz em busca da paz

Agência Porã
Ex-delegado Cláudio Guerra traz revelações sobre crimes da ditadura em livro

Guerra revelou detalhes desconhecidos de episódios marcantes do período da ditadura aos jornalistas Marcelo Netto e Rogério Medeiros nos últimos dois anos. O material deu origem ao livro “Memórias de uma guerra suja”, lançado no começo de maio e divulgado pelo iG. O ex-delegado diz que se converteu ao cristianismo e, por isso, decidiu falar o que sabia.

Leia também:  Começa investigação sobre mortes na ditadura

O vídeo com o pedido foi publicado no site do livro neste domingo. É a resposta de Claudio Guerra à entrevista dada pelo Doutor Pablo ao jornal O Globo. O coronel conta a rotina e o objetivo da “Casa da Morte”, local mantido pelo Centro de Informações do Exército (CIE) para pressionar presos políticos em Petrópolis (RJ).

Confira o especial sobre a ditadura

Malhães disse aos repórteres do jornal que, nessa casa, os agentes tentavam transformar os presos políticos em infiltrados. Ele não falou em tortura e não contou detalhes dos métodos. Ele admitiu que muitos “sustos” eram dados na casa. “E o susto era sempre a morte”, disse ao jornal O Globo na edição deste domingo. Pelo menos 22 pessoas podem ter sido executadas na “Casa da Morte”.

Guerra acredita que o depoimento de Malhães é resultado do livro “Memórias de uma guerra suja”. “Faço um pedido ao coronel para sentarmos e conversarmos, já que ele não falou nada e tem muita coisa pra falar. Mas foi um grande passo”, afirmou no vídeo. “Agora nossa missão é essa (ajudar a esclarecer a verdade)!”, destacou.

Assista ao vídeo de Claudio Guerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG