Foram emitidos alertas nas redes de cooperação das quais o Brasil faz parte em busca de contas bancárias e imóveis em nome dos acusados em território estrangeiro

Agência Estado

O Ministério da Justiça acionou autoridades de mais de cem países para rastrear bens de envolvidos nas Operações Vegas e Monte Carlo.

Por meio do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional (DRCI), o governo brasileiro emitiu alerta nas redes de cooperação da qual faz parte em busca de contas bancárias e imóveis em nome dos acusados em território estrangeiro.

Entre eles: Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira , e o senador Demóstenes Torres (ex-DEM,GO).

Eleições:  PT teme que acordo eleitoral influencie CPI do Cachoeira

Veja o especial do iG sobre a CPI do Cachoeira

Carlinhos Cachoeira depôs na CPI no dia 22 de maio
AE
Carlinhos Cachoeira depôs na CPI no dia 22 de maio


Inquérito da Polícia Federal aponta indícios de que o grupo mantinha imóveis no exterior, em especial em Miami, nos Estados Unidos e usava contas em paraísos fiscais para lavar dinheiro.

Em depoimento à CPI do Cachoeira , o delegado Matheus Mella Rodrigues confirmou o braço internacional da quadrilha.

Leia também:  Justiça marca depoimento de Cachoeira para o dia 24 de julho

Segundo as investigações, parte do dinheiro era transferida para contas no Caribe, EUA, Irlanda, Liechtenstein.

O grupo também tinha um bingo registrado nas Ilhas Virgens Britânicas e contava com o apoio do argentino Roberto Coppola, sócio do contraventor.

Relembre: Troca de e-mails envolve governo do Paraná com rede de Cachoeira 

Escutas e quebras de sigilo bancário mostraram ainda que a organização usava serviços de doleiros e de casas de câmbio para comprar moeda estrangeira. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.