Governo quer rastrear no exterior bens de Cachoeira e Demóstenes

Foram emitidos alertas nas redes de cooperação das quais o Brasil faz parte em busca de contas bancárias e imóveis em nome dos acusados em território estrangeiro

Agência Estado |

Agência Estado

O Ministério da Justiça acionou autoridades de mais de cem países para rastrear bens de envolvidos nas Operações Vegas e Monte Carlo.

Por meio do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional (DRCI), o governo brasileiro emitiu alerta nas redes de cooperação da qual faz parte em busca de contas bancárias e imóveis em nome dos acusados em território estrangeiro.

Entre eles: Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira , e o senador Demóstenes Torres (ex-DEM,GO).

Eleições:  PT teme que acordo eleitoral influencie CPI do Cachoeira

Veja o especial do iG sobre a CPI do Cachoeira

AE
Carlinhos Cachoeira depôs na CPI no dia 22 de maio


Inquérito da Polícia Federal aponta indícios de que o grupo mantinha imóveis no exterior, em especial em Miami, nos Estados Unidos e usava contas em paraísos fiscais para lavar dinheiro.

Em depoimento à CPI do Cachoeira , o delegado Matheus Mella Rodrigues confirmou o braço internacional da quadrilha.

Leia também:  Justiça marca depoimento de Cachoeira para o dia 24 de julho

Segundo as investigações, parte do dinheiro era transferida para contas no Caribe, EUA, Irlanda, Liechtenstein.

O grupo também tinha um bingo registrado nas Ilhas Virgens Britânicas e contava com o apoio do argentino Roberto Coppola, sócio do contraventor.

Relembre: Troca de e-mails envolve governo do Paraná com rede de Cachoeira 

Escutas e quebras de sigilo bancário mostraram ainda que a organização usava serviços de doleiros e de casas de câmbio para comprar moeda estrangeira. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG