Tenho de tomar cuidado com quem não gosta de mim, diz Lula

Sem citar polêmica com ministro Gilmar Mendes, Lula reclama de adversários ao iniciar palestra em Brasília

Nara Alves, enviada a Brasília |

Em Brasília desde ontem à noite, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou na tarde desta quarta-feira do 5º Fórum de Desenvolvimento Ministerial, na Fiocruz, no campus da Universidade de Brasília (UnB). Com 40 minutos de atraso, Lula iniciou sua fala reclamando da ação de desafetos.

Leia mais: Em Brasília, Lula almoça com Dilma e evita imprensa

Brasília: Dilma faz homenagem a Lula em meio à polêmica sobre Mendes

Beto Barata/Agência Estado
Dilma almoçou com o ex-presidente Lula no Palácio da Alvorada

Sem citar a polêmica envolvendo o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, o ex-presidente disse que tem de ser cauteloso com adversários. “Eu vou falar em pé porque senão vão dizer que eu tô doente. Porque tem gente que gosta de mim, mas tem gente que não gosta. E eu tenho que tomar cuidado com essa (gente)”, disse Lula antes de iniciar sua palestra.

Entenda o caso: Lula teria procurado ministro do STF para adiar mensalão, diz revista

Rouco, Lula revelou que foi “obrigado a ler o discurso” por conta se sua voz, que ainda não está totalmente recuperada. O ex-presidente, que se tratou de um câncer na laringe, ainda faz tratamento e sofre restrições médicas relacionadas ao uso da voz. Ele contou que em São Paulo ele teria de ler um discurso de sete minutos e acabou improvisando por outros 30 minutos, o que lhe causou problemas de saúde.

Resposta: Lula confirma encontro com Mendes, mas nega interferência no STF

Durante a palestra, Lula voltou a elogiar a própria gestão à frente do Palácio do Planalto, lembrou dados sobre a diminuição da miséria no Brasil e ressaltou que enfrentou muita resistência da oposição. “Eles vão ficar ainda mais bravos com a Dilma porque com as políticas sociais vão acabar com o mercado de empregada doméstica”, disse.

Em mais de uma hora de palestra, Lula voltou a criticar os meios de comunicação e a elogiar a presidenta. “Dilma é dura quando necessário, mas meiga 90% do dia”, afirmou. O ex-presidente finalizou sua fala lamentando a crise europeia e ressaltando a importância da Rio+20.

Tratado como “nosso querido presidente” pela ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campelo, que abriu o Fórum, o ex-presidente voltou a ser homenageado pelo seu empenho no combate à pobreza durante seu governo.

Pela manhã, a presidenta Dilma Rousseff havia prestado homenagem ao antecessor. Hoje, a presidenta recebeu Lula para um almoço no Palácio da Alvorada . Lula não conversou com a imprensa ao longo do dia.

    Leia tudo sobre: lulamensalãogilmar mendesstf

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG