CPI pedirá ao STF inquéritos das operações Vegas e Monte Carlo

O relator Odair Cunha (PT-MG) afirmou que o trabalho de investigação terá início a partir desses documentos

iG São Paulo |

Em sua primeira reunião, a CPI do Cachoeira, que investigará as relações do bicheiro com políticos, aprovou requerimento nesta quarta-feira (25) para pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) os inquéritos das operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal (PF). Esse foi o único requerimento aprovado até agora em meio a mais de 70 pedidos apresentados por deputados e senadores para convocar testemunhas e requisitar documentação.

Galeria de fotos: Veja quem são os membros da CPI do Cachoeira

Agência Câmara
CPI do Cachoeira realiza a primeira reunião e vai pedir inquéritos ao STF

Também serão enviados requerimentos para a Procuradoria-Geral da República (PGR) e a PF para que ambas enviem documentos sobre as duas operações.

O deputado Odair Cunha (PT-MG), escolhido relator da CPI, afirmou que todo o trabalho de investigação deve ser iniciado a partir dessa documentação: "Esses documentos são nosso ponto de partida".

O senador Fernando Collor (PTB-AL) também sugeriu a convocação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e dos dois delegados que conduziram as investigações na Polícia Federal para que eles possam informar o estágio das investigações. No entanto, esse pedido não chegou a ser apreciado pela CPI.

Leia também: Partidos fecham lista de indicados e Congresso instala CPI

CPI do Cachoeira: Relator diz que vai investigar 'doa a quem doer'

Na próxima reunião, marcada para quarta-feira (2), às 14h30, Cunha afirmou que vai apresentar uma proposta de plano de trabalho para a CPI e, na ocasião, será escolhido o vice-presidente do colegiado, de forma “harmônica” entre os partidos.

A CPI é formada por 32 parlamentares, sendo 16 deputados e 16 senadores, além dos seus respectivos suplentes e tem o prazo de 180 dias para concluir as investigações. As reuniões, de acordo com o senador Vital do Rêgo, ocorrerão nas terças, quartas e quintas. "Da minha parte, prometo todo empenho e diálogo com todas as forças que atuam na CPMI", destacou.

Mais cedo, o deputado licenciado Stepan Nercessian (PPS-RJ), citado nas investigações, se dispôs a prestar esclarecimentos à CPI sobre sua relação com Carlinhos Cachoeira. A nota foi lida pelo deputado Rubens Bueno (PPS-PR). Nercessian se licenciou do partido por ter recebido dinheiro emprestado do bicheiro.

Anunciados na terça-feira, os membros da CPI marcaram reunião para hoje também para oficializar a escolha de Cunha na relatoria e do presidente do colegiado Vital do Rêgo (PMDB-PB). O único voto contrário ao nome do peemedebista veio do deputado Fernando Francischini (PSDB-PR).

    Leia tudo sobre: cpi do cachoeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG