Papa celebra missa para milhares em último dia de visita ao Benin

Pelo menos 80 mil fiéis acompanham celebração em estádio da cidade de Cotonou, na qual papa condena idolatria a poder e dinheiro

iG São Paulo |

No último dia de visita oficial ao Benin, o papa Bento 16 celebrou neste domingo uma missa para pelo menos 80 mil fiéis em um estádio da cidade de Cotonou.

AP
Papa acena para fiéis em estádio de Cotonou, no Benin, onde realizou missa

As palavras do papa foram transmitidas em pelo menos 10 línguas africanas faladas no país, onde vivem cerca de 9 milhões de moradores. Durante a celebração, o papa pediu aos africanos que não idolatrem o poder e o dinheiro. Ele também pediu ajudem aos marginalizados.

O presidente do Benin, Thomas Boni Yayi, participou da missa, que foi acompanha por fiéis de outras nações africanas como Togo, Burkina Fasso, Níger, Gana e Nigéria. Esta é a segunda viagem do papa à África, após a realizada em 2009 a Camarões e Angola.

No sábado, Bento 16 usou tom excepcionalmente duro, segundo analistas, para pedir que as autoridades africanas acabem com a corrupção.

"Adotem uma posição ética corajosa em relação a suas responsabilidades", disse o pontífice.

"Há escândalos e injustiças demais, corrupção e ganância demais, erros e mentiras demais, violência demais, o que leva a miséria e morte."

"Todo povo quer entender as escolhas políticas e econômicas feitas em seu nome. Eles percebem a manipulação e sua vingança é às vezes violenta. Eles querem participação em boa governança", afirmou.

"Sabemos que nenhum regime político é ideal e que nenhuma escolha econômica é neutra. Mas estes devem sempre servir ao bem comum. Enfrentamos demandas legítimas, presentes em todos os países, por uma maior dignidade e sobretudo por uma maior humanidade", acrescentou.

Com EFE e BBC

    Leia tudo sobre: papabento 16áfricabeninigreja católica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG