Tamanho do texto

Conteúdo do vaso antigo pode chegar a valer até milhões de euros e estima-se que foi cunhado durante três períodos diferentes do Império Romano

As moedas do Império Romano estavam em um local de residências da nobreza da atual região de Como (foto ilustrativa)
shutterstock
As moedas do Império Romano estavam em um local de residências da nobreza da atual região de Como (foto ilustrativa)

Um vaso com 300 moedas de ouro da época do Império Romano foi encontrado em Como, no norte da Itália. O governo do país anunciou a descoberta do “ tesouro ” na última quarta-feira (5), em um excelente estado de conservação, durante escavações em um terreno do centro histórico da cidade, onde será construído um prédio.

Leia também: Americana fatura R$ 300 mil após ganhar três vezes na loteria em menos de um mês

Além das moedas, também foram encontrados outros dois objetos e mais uma barra de ouro do Império Romano . Todos eles são dos séculos 4 e 5 d.C e podem valer milhões de euros, como explicou a Superintendência para os Bens Culturais de Milão, que está localizada a 50 quilômetros de Como.

“Como foi fundada pelos romanos, então essas descobertas são naturais, mas esse pode ser um dos tesouros mais importantes já encontrados”, explicou Giencarlo Frigerio, presidente da Sociedade Arqueológica Comense.

Ele ainda disse que a ânfora, vaso antigo que abrigava as moedas, estava em uma área com residências privadas da nobreza e, assim, o objeto pode ter sido escondido para escapar de saques.

“Para mim, esse é um caso mais que excepcional, é um daqueles que marcam o percurso da história", Alberto Bonisoli, ministro dos Bens Culturais, também anunciou nesta segunda-feira (10).

Análises preliminares estimam que as moedas foram cunhadas durante três períodos diferentes: a era do imperador Honório (393-423), Valentiniano III (424-455) e Líbio Severo (461-465).

Mais tesouros italianos além das moedas do Império Romano

Além dos objetos do Império Romano, possíveis moedas seriam o 'tesouro perdido' remanescente de um navio de 1866
Pixabay/Creative Commons
Além dos objetos do Império Romano, possíveis moedas seriam o 'tesouro perdido' remanescente de um navio de 1866

Em outro caso de "tesouros", mergulhadores europeus encontraram um cofre em meio aos destroços do navio “Rei da Itália”, que naufragou em 1866, durante a Batalha de Lissa, no Mar Adriático. Segundo ‘reza a lenda’, a caixa pode conter uma série de objetos valiosos, avaliados em dezenas de milhões de euros e, por isso, muitas pessoas apelidaram a descoberta de ‘tesouro perdido’.

O tesouro foi encontrado por um grupo liderado por Lorenzo Marovic. Ninguém sabe exatamente o que há dentro do cofre, desse modo, foi solicitado ao Ministério da Cultura de Zagreb, na Croácia, e à superintendência competente que mais duas missões exploratórias sejam realizadas.

“Dado que o ‘Rei da Itália’ jaz a 115 metros de profundidade e as imersões podem chegar a cinco horas, precisamos de equipamento adequado e mergulhadores preparados”, explicou Marovic. “Não sabemos o que tem no cofre, mas acredito que, de qualquer forma, isso deve ser trazido à superfície”.

Segundo a lenda popular, esse navio levava um grande carregamento de ouro quando naufragou. Toda a quantia serviria aos custos do governo provisório da Itália, caso o país conseguisse uma vitória marinha sobre a Áustria durante a 3ª Guerra da Independência. O valor das  moedas de ouro , avaliadas em 250 mil libras da época, pode chegar a dezenas de milhões de euros atualmente,  

Leia também: Ouviu conselho do seu pai hoje? Homem segue dica e ganha R$ 8 milhões na loteria

Diferente das moedas do Império Romano , caso realmente exista, o conteúdo será de propriedade do Ministério dos Bens Culturais da Croácia, no entanto, nem todo o valor ficará com o governo do País. A equipe de Marovic, que encontrou a caixa, poderá ficar com 10% do conteúdo total.

*Com informações da Agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.