Diagnosticado com uma condição crônica, o francês já passou por cinco procedimentos cirúrgicos para tratar as consequências de sua compulsão

O paciente em questão, obcecado por metais, foi diagnosticado com uma condição chamada psicose crônica
Reprodução/BMJ
O paciente em questão, obcecado por metais, foi diagnosticado com uma condição chamada psicose crônica


Os médicos de um hospital francês fizeram uma cirurgia nada típica no fim do ano passado. Durante o procedimento, cerca de 100 itens de metais foram retirados do estômago de um homem. Dentre os artefatos, foram encontradas facas, parafusos, moedas e pedaços de um cabo de ferro, além de outros pequenos objetos que foram engolidos de forma intencional.

Leia também: Garoto engole apito e reproduz som de buzina durante respiração; assista

De acordo com um artigo publicado no BJM na última quarta-feira (27), o homem de 52 anos foi diagnosticado com psicose crônica, uma condição que se manifesta como uma desconexão com a realidade. Assim, ele já surpreendeu os médicos cinco vezes por causa do mesmo problema: a sua obsessão por engolir itens de metais.

Operado em quatro ocasiões, o francês começou a manifestar as consequências da doença em maio de 2012. Desde o princípio, ele chega ao pronto socorro com os mesmos sintomas: náuseas, vômito com presença de sangue e dores abdominais. 

Na primeira vez, os especialistas optaram por uma solução menos invasiva do que uma operação: retirar os objetos por meio de um procedimento de endoscopia. Com a ajuda de tubo flexível, o problema foi resolvido e o homem, cujo nome não foi divulgado, pode voltar para sua casa.

O homem foi admitido cinco vezes no pronto socorro com os mesmos sintomas: náuseas, dores abdominais e vômitos
Reprodução/BMJ
O homem foi admitido cinco vezes no pronto socorro com os mesmos sintomas: náuseas, dores abdominais e vômitos


Desde então, ele começou a tratar sua psicose crônica, responsável por sua tendência a ingerir metais . Por causa disso, os cirurgiões não esperavam encontrá-lo na sala de emergência pelo mesmo motivo. Entretanto, oito meses depois, a situação se repetiu.

Com os mesmos sintomas, desta vez o paciente teve que ser operado para se livrar dos itens, que incluíam colheres, a cabeça de uma chave de fenda e muitos outros pequenos objetos de metal.

Leia também: Após tatuagem ocular mal sucedida, modelo desenvolve 'lágrimas coloridas'

Complicações do caso

Entre os anos de 2013 e 2016, o homem foi operado mais duas vezes em decorrência de seus “hábitos” alimentares, que foram os responsáveis pela formação de um bezoar em seu estômago, o que pode ser definido como uma acumulação de corpos estranhos no sistema gastrointestinal.

Além disso, ele foi admitido com um processo inflamatório grave da última vez que precisou de uma cirurgia. Pálido, com febre e desidratado, ele descobriu que um pedaço de metal, desta vez, perfurou seu estômago e inflamou o revestimento do órgão.

Leia também: Casal canibal é preso por esquartejar, congelar e jantar 30 pessoas na Rússia

De acordo com os médicos do artigo publicado na BMJ , casos de ingestão de objetos precisam ser tratados com acompanhamento psiquiátrico , o que pode reduzir o número de recorrências, que assim como no caso francês, chegam à taxa de 14% na literatura médica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.