Cristina Kirchner comemora reeleição na Argentina

Após eleição sem surpresas, presidenta fez discurso emocionado no qual lembrou o marido, Néstor Kirchner, morto em 2010

Fernando de Dios, de Buenos Aires, especial para o iG |

Em uma eleição sem surpresas, a presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, foi reeleita neste domingo com quase 54% dos votos, a maior vitória eleitoral desde 1983, ano da redemocratização do país. O segundo colocado, o socialista Hemes Binner, governador da Província de Santa Fé, ficou mais de 37 pontos percentuais atrás de Cristina.

Além disso, a coalizão peronista Frente para a Vitória, liderada por Cristina, reverteu a derrota nas eleições legislativas de 2009 e recuperou a maioria absoluta que exercia com aliados na Câmara dos Deputados e no Senado.

A presidenta reeleita comemorou a vitória com um discurso cheio de emoção e apelo popular, no qual pediu ao povo que "a acompanhe" e lembrou constantemente do marido, o ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), que morreu há quase um ano , ainda que sem citar seu nome.

“Quero agradecer a alguém que já não pode me ligar mais, mas que é o grande fundador da vitória de hoje. Sem ele, sem sua coragem e valentia, sem as coisas que ele fez, talvez tivesse sido impossível chegar até aqui. Ele é o homem que transformou o país”, falou Cristina no Hotel Intercontinental, no centro da capital argentina, Buenos Aires. “Se digo que estou feliz, é mentira. Se digo que estou triste também é mentira”, acrescentou, emocionada.

Foi um momento especial para a presidenta (a primeira mulher eleita e reeleita da história da Argentina), que agradeceu aos presidentes da América Latina que a ligaram para dar os parabéns pelo resultado. Ela pediu unidade nacional, agradeceu aos 40 milhões de argentinos e a todos os partidos políticos que participaram das eleições.

A Praça De Maio foi novamente o cenário da festa e o apoio para a presidenta reeleita. Milhares de jovens de grupos políticos como La Cámpora (dirigida por seu filho, Máximo Kirchner), JP Evita e a Juventude Sindical, entre outros, levaram toda a cor peronista ao local.

No palco, ao lado de Cristina, estavam Florência e Máximo, seus filhos com Néstor, sua mãe, Ofélia Wilhelm, além de mães e avós da Praza De Maio, ministros e funcionários.

Vitória esperada

O domingo já tinha sido de emoção para Cristina, que quase chorou após votar na mesa 529 do Colégio de Nossa Senhora de Fátima na cidade de Rio Gallegos, na Província de Santa Cruz.

"Onde ele estiver, está feliz", afirmou Cristina. "Sou presidenta, mas não posso esquecer que sou a esposa de um homem que mudou a vida política do país. Ele tinha a vocação transcendente para ser parte da história. A família teria gostado de ele ter sido menos importante historicamente e que o tivéssemos mais aqui conosco”, disse, com a voz embargada.

A eleição presidencial aconteceu em clima de tranquilidade, sem que incidentes graves fossem registrados. Quando às urnas foram fechadas, às 18h locais (19h no horário de Brasília), todos os meios de comunicação foram rápidos em dar o resultado que já era esperado. "Cristina reeleita" foi a mensagem repetida nas telas da televisão e nas rádios.

No Twitter, eleitores de Cristina comemoraram a vitória. Em menos de 140 caracteres, o vice-presidente eleito, Amado Boudou, escreveu: "Obrigado a todos os argentinos para este dia de festa, sem violência e amor à pátria.” Durante todo o dia de votação, o nome de Cristina foi o mais popular na rede social, com cerca de 89 mil citações.

*Com EFE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG