Chávez diz que fará cirurgia após encontrar nova 'lesão'

O presidente venezuelano negou que seja metástase do tumor pélvico que retirou no ano passado; a 'lesão' é no mesmo lugar do tumor

iG São Paulo |

Reuters
Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em foto de outubro de 2011
O presidente venezuelano, Hugo Chávez, anunciou nesta terça-feira que terá de passar por uma nova cirurgia após os médicos que o tratam em Cuba terem detectado uma lesão no mesmo local onde o líder teve extraído um tumor maligno pélvico em junho do ano passado.

Ele confirmou os rumores que surgiram no fim de semana de que viajou a Cuba, onde foi tratado no ano passado por um tipo de câncer não revelado.

Chávez apareceu na televisão nesta terça-feira em Barinas, seu Estado natal, depois de seus apoiadores terem desmentido os rumores. "É uma pequena lesão, de cerca de dois centímetros de diâmetro, claramente visível. Isso nos obriga a fazer outra intervenção cirúrgica", afirmou Chávez.

"Desminto que tenha metástases (...), que já estou morrendo", acrescentou o governante.

Em outubro: Chávez diz que novos exames confirmam que ele está livre do câncer

Viagem: Hugo Chávez anuncia visita ao Brasil em março

"Não temos certeza, ninguém pode dizer que essa nova lesão seja maligna, no entanto há probabilidades altas, porque está no mesmo lugar onde estava o outro, por isso é preciso extraí-lo", explicou Chávez ao canal de televisão estatal "VTV".

O exame ao qual disse que foi submetido no sábado em Havana detectou "uma lesão no mesmo lugar onde foi extraído o tumor há já quase um ano; é uma lesão pequena de quase dois centímetros de diâmetro, bem visível", detalhou.

Em Cuba:  Hugo Chávez vai a Cuba para submeter-se a exames médicos

Eleições: Chávez chama adversário das eleições na Venezuela de 'porco'

"Isso me obriga a extrair essa lesão e isso obriga uma nova cirurgia, provavelmente menos complicada que a anterior" e "estou em boas condições físicas para enfrentar esta nova batalha", declarou o governante de 57 anos.

Especulação e eleição

Em junho, autoridades do governo da Venezuela negaram a especulação de que Chávez havia sido gravemente ferido e recebia tratamento em Cuba, até que o presidente mesmo admitiu que tinha câncer e os médicos removeram da região pélvica um tumor "do tamanho de uma bola de beisebol".

Mais cedo, o ministro das Comunicações, Andrés Izarra, negou versões que circulavam na internet sobre uma possível viagem de emergência de Hugo Chávez à Cuba por causa de complicações de seu câncer detectado no ano passado.

Em sua conta no twitter, Izarra escreveu "Sobre rumores, guerra suja dos canalhas", sobre as informações divulgadas na página da estatal Venezuelana de Televisão (VTV) na internet.

O presidente da Assembleia Nacional, deputado Diosdado Cabello, também rechaçou os insistentes rumores que navegavam pelas páginas da internet sobre a saúde do presidente e acusou em sua conta no twitter o jornalista venezuelano, Nelsón Bocaranda, como um dos responsáveis por difundir estas versões.

"Bocaranda é um doente da alma, todos os dias ele deseja a morte do comandante, será que é pago para escrever essas mentiras?" Ainda que Chávez tenha se declarado em numerosas oportunidades que seu estado de saúde é bom, ele nunca disse que tipo de câncer teve e nem divulgou informes médicos oficiais sobre sua enfermidade.

Desde que Chávez ficou doente no ano passado, surgiram diversos rumores sobre seu estado de saúde que ele mesmo teve de desmentir.

A doença de Chávez ameaça o cenário para as eleições da Venezuela de outubro, para a qual a expectativa era de uma nova vitória do presidente, embora ele esteja enfrentando a maior ameaça eleitoral depois de 13 anos no poder

* Com EFE, Agência Estado e AFP

    Leia tudo sobre: venezuelacháveztumorlesão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG