Candidato dos EUA promete um pônei para cada americano

O independente Vermin Supreme se apresenta como 'fascista amigável' e promete 'combater a gengivite' se for eleito presidente

Carolina Cimenti, de Nova York |

A grande maioria das pessoas acha que as eleições americanas são somente uma corrida entre democratas e republicanos. Mas a verdade é que qualquer pessoa nascida nos EUA, com mais de 35 anos e que tenha morado no país por pelo menos 14 anos, pode concorrer. Qualquer um. Até mesmo Vermin Supreme, que se apresenta como sendo um “fascista amigável” e usa uma gigante bota de borracha na cabeça.

Saiba mais: Veja o especial sobre eleições nos EUA

Getty Images
Candidato presidencial Vermin Supreme faz manifestação contra republicano Newt Gingrich em Manchester, New Hampshire (08/02)
E esqueça os discursos contra a crescente dívida soberana americana ou as promessas para diminuir impostos. Se eleito presidente dos EUA, Supreme promete lutar contra a “decadência moral e oral” do país e “combater a gengivite, que vem corroendo as gengivas desta grande nação por muito tempo”.

A sua principal plataforma seria distribuir um pônei para cada americano. Isso porque, segundo diz, “uma economia baseada em pôneis criaria muitos e muitos empregos”. Para resolver o problema energético e ambiental dos EUA, o candidato usaria “o maravilhoso poder dos zumbis, colocando cérebros à sua frente, e os transformando em pequenas turbinas vivas”.

Nas últimas semanas, Supreme transformou sua campanha em um jogo de caça aos candidatos. Dias antes da primária de New Hampshire , ele acampou na frente do principal evento do pré-candidato republicano Newt Gingrich e gritou em um megafone por horas a fio: Newt. Newt. Newt. Newt. Newt. Newt. Como se fosse um telefone ocupado. Depois disso, tentou conversar com os outros pré-candidatos Mitt Romney, Rick Santorum e Ron Paul, mas foi expulso em questão de minutos de todos os eventos.

Infográfico: Quem são os principais pré-candidatos republicanos?

Questionado por um passante em New Hampshire de por que ser candidato, Supreme não teve dúvidas: “Porque represento uma pequena parte dos americanos, mas é uma pequena parte que tem um número muito grande de pessoas”, disse. A eleitora então continuou: que parte seria essa? “São os malucos”, respondeu o candidato com toda a seriedade.

Em seus discursos, Supreme sempre afirma que deve ganhar votos “porque ele sabe o que é melhor para o eleitor” e depois complementa: “Vou mentir para você. Porque não tenho nenhum motivo para não fazer isso.” Finalmente, o candidato diz: “Vote cedo, vote sempre e vote em mim, afinal, um voto em Vermin Supreme é um voto completamente jogado fora.”

Supreme pode ser o único “político” a defender uma dentição forte para uma América forte, mas ele não é o único candidato desligado dos principais partidos americanos. Ao terminar sua participação em um debate dos “candidatos desconhecidos”, ele jogou purpurina no candidato católico ultrarreligioso e pró-vida Randall Terry, que costuma bloquear as entradas das clínicas de aborto, dizendo: “Randall está virando gay, olhem, ele está virando gay!”

    Leia tudo sobre: eleição nos euaeuarepublicanosdemocratasVermin Supreme

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG