Segundo autoridades, mulher de 44 anos não tinha bom relacionamento com estudantes de escola no sul da França

Uma professora de matemática ateou fogo ao próprio corpo na última quinta-feira na escola de ensino médio onde dava aulas, em Béziers, no sul da França. Ela, que tinha sobrevivido e sido levada ao Hospital Universitário de Montpellier, morreu em decorrência das queimaduras nesta sexta-feira.

Alunos e professores viram a mulher de 44 anos se cobrir com gasolina no pátio e gritar, logo antes de acender um isqueiro. Várias pessoas teriam tentado apagar o fogo com cobertores, mas ela teria pedido que a deixassem em paz.

Pessoa passa por colégio Jean Moulin, no sul da França, onde professora ateou fogo ao próprio corpo
AFP
Pessoa passa por colégio Jean Moulin, no sul da França, onde professora ateou fogo ao próprio corpo

Relacionamento difícil

Relatos na mídia local indicam que a professora não tinha um bom relacionamento com os estudantes e que teria tido um "encontro difícil" com vários deles na noite anterior para discutir seu "estilo rigoroso de ensino".

O ministro da Educação da França, Luc Chatel, foi até o hospital e disse estar chocado com "o ato de desespero". Falando à rádio RTL, ele disse que a professora "estava em uma situação de grande fragilidade" e que uma investigação está sendo conduzida.

A escola Jean Moulin dispensou todos os alunos após o incidente e estabeleceu uma unidade para oferecer apoio psicológico às testemunhas do suicídio.

Com BBC e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.