'Prisioneiro X' de Israel teria vazado informações secretas

Por BBC Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Cidadão australiano havia sido preso em sigilo e sob identidade falsa e se suicidou na prisão israelense Ayalon em 2010; ele trabalhava para o Mossad e seu sumiço provocou escândalo

BBC

O programa de TV australiano que divulgou a identidade do chamado "prisioneiro X" de Israel deu mais detalhes sobre os motivos que teriam levado à sua prisão. De acordo com o programa Foreign Correspondent, do canal ABC News, Israel aprisionou secretamente Ben Zygier, um australiano que trabalhava para o Mossad, o serviço secreto israelense, porque acreditava que ele tivesse divulgado detalhes sobre seu trabalho.

Entenda o caso: Mistério sobre morte de 'agente duplo' em prisão provoca escândalo

AP
Primeira página do jornal israelense Maariv mostra um homem que supostamente é o cidadão australiano que morreu misteriosamente na prisão


De acordo com o programa, Israel suspeitava que Zygier havia informado a Asio, agência de segurança da Austrália, sobre operações secretas do Mossad. Na semana passada, o canal identificou Zygier como o "prisioneiro X", cuja existência Israel nunca reconheceu. O australiano teria se enforcado meses depois de seu caso ter emergido em 2010.

O programa australiano é objeto de um debate intenso na mídia israelense, depois que o governo proibiu a publicação de detalhes do caso. As ordens foram flexibilizadas em seguida e membros do Parlamento israelense exigiram o fim da censura à mídia no país.

Saiba mais: Cientista é condenado por tentar vender segredos dos EUA a Israel

Missão italiana

De acordo com a edição mais recente do Foreign Correspondent, Zygier se encontrou com agentes da inteligência australiana e falou com eles sobre operações secretas nas quais estaria envolvido. Uma delas seria uma missão na Itália, para onde Zygier estava tentando um visto de trabalho.

Leia também: Os tropeços do Mossad em operações no exterior

O programa afirmou que o australiano mudou seu nome diversas vezes e obteve muitos passaportes, que usou para operações do Mossad na Europa e no Oriente Médio. Ele teria aberto uma empresa de comunicações na Europa para o serviço secreto israelense, que exportava componentes eletrônicos para países árabes e para o Irã.

Israel, juntamente a países ocidentais e outras potências, acusou o Irã de tentar desenvolver armas nucleares, uma acusação que o país nega. O programa disse que o Mossad descobriu que Zygier teve contato com os agentes da Asio durante uma de suas estadias na Austrália.

Leia mais: Pássaro tido como 'espião israelense' causa alarde em vilarejo turco

Acredita-se que ele tenha sido preso em 2010 e mantido em segredo na prisão de segurança máxima de Ayalon, em Israel. O caso veio à tona quando o portal de um jornal israelense divulgou a história naquele ano, mas as notícias foram retiradas do ar depois de uma ordem do governo.

No último domingo, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, defendeu a necessidade de manter algumas informações fora do domínio público. "Nós não somos como os outros países. Somos mais ameaçados, mais desafiados e portanto temos que garantir as atividades das nossas forças de segurança."

Leia tudo sobre: israeleuamossadinteligênciaaustrália

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas