Manifestantes e políticos opositores pressionam governo, que anuncia medidas para aumentar segurança de mulheres.

BBC

Um caso de estupro coletivo dentro de um ônibus na capital indiana, Nova Délhi, vem provocando comoção no país. A vítima foi uma estudante de 23 anos, que está internada em estado grave desde o incidente, no domingo (16).

Cinco passageiros, incluindo o motorista do ônibus no qual ocorreu o ataque, foram presos. A polícia diz estar procurando ainda mais uma suspeito. A estudante de medicina e um amigo do sexo masculino que a acompanhava teriam sido atacados também com barras de ferro antes de serem jogados para fora do ônibus.

EUA:  Candidato ao Senado diz que gravidez pós-estupro é 'vontade de Deus'

África do Sul:  Camisinha contra estupro é distribuída na Copa

Mulheres fazem protesto em frente à casa da chefe de governo do Estado Sheila Dikshit em Nova Délhi, Índia
AP
Mulheres fazem protesto em frente à casa da chefe de governo do Estado Sheila Dikshit em Nova Délhi, Índia


Japão:  Dois soldados americanos acusados de estupro são indiciados

Jatos de água

Nesta quarta-feira, um grande protesto em Nova Délhi pedindo punições fortes contra os estupradores foi dispersado pela polícia com jatos de água após manifestantes tentarem derrubar barreiras de metal em frente à casa da chefe de governo da capital, Sheila Dikshit.

Em outras partes da cidade, grupos de estudantes universitários montaram barricadas para protestar contra as autoridades. Em resposta aos protestos, o governo anunciou uma série de medidas para tentar aumentar a segurança para mulheres na cidade.

Tunísia:  Após ter sido estuprada, mulher é acusada de 'ato indecente'

Reino Unido:  Rapper brasileiro é acusado de estuprar duas mulheres

Na noite de terça-feira (18), a líder do majoritário Partido do Congresso, Sonia Gandhi, visitou o hospital no qual a estudante atacada está internada. Ela disse posteriormente que "as medidas mais estritas possíveis" devem ser tomadas para prevenir tais incidentes.

Pressão

O governo vem sofrendo grande pressão de membros da oposição, de estudantes e de grupos ativistas pelos direitos das mulheres, que acusam as autoridades de não fazer o suficiente para combater os crimes contra as mulheres.

Reino Unido:  Polícia britânica pede desculpas por polêmico cartaz sobre estupro

Afeganistão:  Caso de estupro coloca polícia local em evidência

Nesta quarta (19), deputadas do partido opositor Bharatiya Janata (BJP) também realizaram um protesto em frente ao Parlamento, enquanto centenas de ativistas e estudantes gritavam palavras de ordem em frente ao quartel-general da polícia de Nova Délhi.

Pressionado pela oposição, o ministro do Interior, Sushil Kumar, fez nesta quarta um pronunciamento sobre o caso pela segunda vez em dois dias. Shinde disse que colocará mais patrulhas policiais noturnas e que todos os motoristas de ônibus e seus auxiliares serão submetidos a checagens.

Ele também afirmou que ônibus com janelas escurecidas e cortinas - como o veículo onde ocorreu o estupro no domingo - serão confiscados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.