O serviço secreto da Grã-Bretanha anunciou hoje que o ataque a bombas seria realizado na residência oficial de Theresa May; nível de ameaça terrorista no país é "severo", o que significa alta probabilidade de ocorrência

Atentado terrorista inspirado no Estado Islâmico alvejava a primeira-ministra Theresa May
Reprodução/Twitter
Atentado terrorista inspirado no Estado Islâmico alvejava a primeira-ministra Theresa May

O serviço secreto britânico (MI5) anunciou nesta quarta-feira (6) que impediu um atentado terrorista contra a primeira-ministra Theresa May . Dois homens foram presos no dia 28 de novembro, na semana passada, depois de uma operação conjunta entre o MI5 e a polícia. Os suspeitos tinham 20 e 21 anos, e irão responder às acusações na Corte de Westminster hoje. As informações são do jornal "The Guardian". 

Leia também: Trump deve reconhecer Jerusalém como capital de Israel e gera mal-estar mundial

Segundo o relatório encaminhado ontem pelo diretor-geral do serviço secreto, Andrew Parker, as ações seriam realizadas por lobos solitários, inspirados em ações do grupo extremista Estado Islâmico. De acordo com a Polícia Metropolitana, os dois foram presos acusados de “intenção de cometer um atentado terrorista ”, sendo que já tinham avançado alguns passos em direção à realização do ataque. Eles planejaram bombardear a Downing Street – na residência oficial da premiê – e, então, matariam May.

Leia também: Suprema Corte dos EUA aprova veto na íntegra de imigrantes de seis países

Reino Unido na mira

Os agentes de segurança acreditam que se trata do nono caso de atentado terrorista frustrado desde maio deste ano. O ataque em Westminster no começo de 2017 foi o primeiro de uma série de ataques que deixou pelo menos 36 mortos em Londres e Manchester.

Leia também: Argentina reconhece morte dos 44 tripulantes de submarino desaparecido

O MI5 e a polícia detalharam que o mais recente ataque abortado teria início com uma bomba improvisada nos portões de Downing Street. E o caso é tão sério que vem acompanhado de reivindicações de autoridades de segurança sobre a Grã-Bretanha enfrentar um aumento de ameaças terroristas constante. Sobre isso, o diretor-geral do MI5 chegou a afirmar em um discurso “que é o pior momento que já viu durante sua carreira de 34 anos”.

O nível oficial do país de ameaça é severo, o que significa que a ocorrência de um atentado terrorista é altamente provável.  O MI5 investiga cerca de três mil suspeitos e tem um grupo de 20 mil pessoas que analisam os sinais de possíveis ataques contra o Reino Unido.

Leia também: Tiroteio deixa um morto e dois feridos em aeroporto na França

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.