Kelvin Holdsworth, homossexual e ativista, disse que um casamento gay na família real britânica "solucionaria as coisas de maneira incrivelmente fácil"

Um padre escocês gerou muita polêmica após declarações sobre a orientação sexual do príncipe George
Mario Testino/Divulgação
Um padre escocês gerou muita polêmica após declarações sobre a orientação sexual do príncipe George


O padre Kelvin Holdsworth, reitor da Catedral de Glasgow, na Escócia, pediu “orações” para que o príncipe George, filho de quatro anos de Kate e William, da família real britânica, seja homossexual. As declarações do sacerdote foram feitas nesta sexta-feira (1º) em seu blog e causaram muita polêmica entre os usuários das redes sociais.

Leia também: Irmão assassinado de Kim Jong-un levava antídoto de veneno que o matou na bolsa

O clérigo em questão, gay e ativista dos direitos homossexuais, disse em sua publicação: “rezar, na privacidade de seus corações (ou, em público, caso se atrevam), para que o Senhor abençoe o príncipe George com o amor, quando crescer, de ser um bom jovem cavalheiro”. Ele ainda afirmou que um casamento gay na família real poderia “solucionar as coisas de maneira incrivelmente fácil”.

As declarações foram feitas após a Igreja Episcopal, um ramo da Igreja Anglicana do Reino Unido, votar a favor do reconhecimento do matrimônio entre pessoas do mesmo sexo. Por causa disso, desde junho, diversos casamentos homossexuais foram realizados nas igrejas do país.

Entretanto, o pedido de Holdsworth pode ter passado dos limites. As entidades religiosas britânicas não aceitaram bem suas palavras, e Gavin Ashenden, antigo capelão da rainha Elizabeth II, declarou que sua postagem foi “desagradável e desestabilizadora, equivalente a uma maldição”.

Notícias da família real britânica

Além do caso com o filho de Kate e William, a família real do Reino Unido tem sido muito presente nos noticiários das últimas semanas. Na última semana, o príncipe Harry anunciou que vai se casar com a atriz Meghan Markle .

O Príncipe Harry conheceu Meghan Markle em Toronto, no Canadá, durante as filmagens da série “Suits”, na qual a atriz interpreta a personagem Rachel Zane. No início de novembro deste ano, o relacionamento – que já durava alguns meses – foi confirmado em um comunicado oficial do Palácio de Kensington.

A nota pedia para que a privacidade da atriz fosse preservada, sobretudo em referências aos ataques que ela vinha sofrendo em redes sociais. O comunicado também dizia que o sucessor da coroa britânica estava preocupado por não conseguir proteger a parceira nessas situações.

Leia também: Marinha argentina diz que não busca mais sobreviventes do submarino

Após esse pedido de Harry, o  Príncipe William , pai do príncipe George, declarou apoiar o relacionamento do irmão mais novo. “O Duque de Cambridge compreende de forma absoluta a situação do pedido de privacidade e apoia a necessidade do príncipe Harry de apoiar aqueles que estão mais próximos de si”, diz trecho transcrito pelo jornal The Telegraph .

*Com informações da Agência Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.